Diferenças entre edições de "Galadriel"

2 bytes adicionados ,  20h38min de 25 de novembro de 2015
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 187.39.81.89 (Mulher de fêmea. O elfo A elfo), com Reversão e avisos.
(Não é mulher é Elfa, Elfa é Elfa e mulher é mulher.)
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 187.39.81.89 (Mulher de fêmea. O elfo A elfo), com Reversão e avisos.)
Galadriel é descrita como tendo sido "abençoada com a capacidade de perscrutar a mente dos outros e julgá-los de forma justa. Mas em Fëanor ela só viu escuridão".<ref>''Contos Inacabados'', "A História de Galadriel e Celeborn ", p. 230 .</ref> Como um dos membros da casa real de Finwë e tendo o sangue do Vanyar de sua avó paterna, [[Indis]], ela foi muitas vezes chamada de a mais bela de todos os Elfos, seja em [[Aman]] ou na Terra-média.
 
De acordo com os registros mais antigos de sua história, esboçada por Tolkien em ''[[The Road Goes Ever On]]'' e utilizado em ''[[O Silmarillion]]'', Galadriel foi uma participante ativa e líder da rebelião dos Noldor e sua fuga de Valinor: na verdade, a "única elfamulher que se mostrou à altura naqueles dias". Ela, no entanto, há muito tempo havia se separado de [[Fëanor]] e seus filhos, e não participou no ''Fratricídio em Alqualondë''. Em [[Beleriand]] vivia com seu irmão Finrod Felagund em [[Nargothrond]] e na corte de [[Thingol]] e [[Melian]] em [[Doriath]]. Nesse relato, ela conheceu Celeborn, parente de Thingol, em Doriath.
 
Após a Guerra da Ira, os [[Valar]] proibiram os líderes dos Exilados de voltarem para as [[Terras Imortais]], e assim sendo uma desses líderes, Galadriel permaneceu em exílio na Terra-média. No final da Terceira Era, quando ela recusa o [[Um Anel]], é finalmente autorizada a regressar à Valinor.