Diferenças entre edições de "José Joaquim de Almeida e Araújo Correia de Lacerda"

sem resumo de edição
'''José Joaquim de Almeida e Araújo Correia de Lacerda''' (? &mdash; ?) foi um jurisconsulto e magistrado judicial que exerceu as funções de [[Ministro do Reino]] (cargo correspondente ao do actual Primeiro-Ministro) de [[15 de Janeiro]] de [[1825]] a [[1 de Agosto]] de [[1826]], ultimos meses do reinado de D. [[João VI de Portugal]] e princípio da regência da infanta D. [[Isabel Maria de Bragança]].<ref name="dic">[http://www.arqnet.pt/dicionario/lacerdajosejoaquimcorreia.html Nota biográfica em ''Portugal - Dicionário Histórico''].</ref><ref>[http://www.portugal.gov.pt/pt/o-governo/arquivo-historico/chefes-de-estado/chefes-de-estado.aspx Chefes do Governo desde 1821 :Antes da Monarquia Constitucional].</ref> Fidalgo cavaleiro da casa real, em 1844 foi feito cavaleiro da [[Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa]].
 
==Biografia==
Juiz de fora em [[Barcelos]], juiz desembargador do [[Tribunal da Relação do Porto]] e conhecido [[jurisconsulto]], era membro do Conselho de D. João VI e do Conselho de Estado. Pertencente à [[maçonaria]], Correia de Lacerda, foi nomeado para Ministro do Reino por D. [[João VI de Portugal|João VI]] depois de este ter sido pressionado pelos ingleses no sentido de demitir o [[Manuel Inácio Martins Pamplona Corte Real]], o [[Conde de Subserra]], e o [[Duque de Palmela]]. Exerceu aquele cargo de 15 de Janeiro de 1825 a 1 de Agosto de 1826, durante os últimos meses do reinado daquele soberano e princípio da regência da infanta D. [[Isabel Maria de Bragança]].
 
Enquanto Ministro do Reino, foi autor do alvará de D. João VI de 25 de junho de 1825 que estabeleceu um curso de Cirurgia em escolas regulares a funcionar no [[Hospital Real de São José]], em Lisboa, e no [[Hospital da Misericórdia da Porto]], na cidade do [[Porto]]. Estes cursos, e as correspondentes Escolas Reais de Cirurgia de Lisboa e Porto, foram os primeiros organizados em Portugal em moldes modernos e foram os percursores dos actuais cursos de Medicina e das respectivas faculdades de Lisboa e Porto.<ref>''Cem anos da Universidade do Porto''. Porto, 2011, p.39.</ref>
 
Publicou diveros escritos anónimos, sendo-lhe atribuída a autoria da obra ''Exame dos artigos históricos e políticos que se contêm na colecção periódica intitulada «Correio Braziliense» no que pertence somente ao reino de Portugal'', publicada em Lisboa no ano de 1810.<ref name="dic"/>
Em 1844 foi agraciado com o grau de cavaleiro da [[Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa]].
 
Foi pai de D. [[ José Maria de Almeida Araújo Correia de Lacerda|José de Lacerda]] (1803-1875), [[deão]] da [[Sé Patriarcal de Lisboa]], de José Manuel Correia de Lacerda (1793-1856), conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça, e de [[António Augusto Correia de Lacerda]], governador de Moçambique.<ref name="dic"/>
==Obras publicadas==
*''Exame dos artigos historicos políticos que se contêm na collecção periodica intitulada «Correio Braziliense» ou «Armazem Litterario» no que pertence somente ao Reino de Portugal''. Lisboa, Impressão Régia, 1810.
 
{{referências|Notas}}
=={{Links}}==
*[http://www.iscsp.ulisboa.pt/~cepp/governos_portugueses/joanino/lacerda_barros.htm Governo de Lacerda/Barros]
 
{{esboço-biografia}}