Diferenças entre edições de "Pico da Rajada"

86 bytes adicionados ,  08h15min de 30 de dezembro de 2015
Alerta as pessoas sobre os perigos naturais.
(Alerta as pessoas sobre os perigos naturais.)
O segundo trecho da trilha é um caminho de 1km, onde somente é possível seguir a pé ou em montaria. Aqui inicia-se a aventura propriamente dita. Um caminho sinuoso e muitas vezes enlameado espera os desavisados. É muito importante estar fisicamente apto para enfrentar este desafio de médio impacto. É altamente recomendado que os aventureiros estejam bem calçados e possuam um bom estoque de alimentos saudáveis e energéticos. Esta segunda etapa termina quando alcançamos a Linha da Serra (ponto onde dividem-se as escostas a barlavento e a sotavento). Na sequência temos mais 2,5km de caminhada que alterna subida e descida. Nesta etapa cruzamos por 4 riachos. A vegetação muda e notamos cada vez menos a influência humana na alteração da paisagem natural. O trecho final possui 500m de extensão, mas é extremamente desafiados. Muita lama e um emaranhado de galhos torna a chegada emocionante. São 4 horas de subida.
 
A outra possibilidade de acesso à Pedra da Rajada inicia a partir do centro da cidade e atravessa a comunidade de Pirapora ao longo do Rio Maranguapinho. Esta ja é uma Linha de alto impacto. Seu percurso até o topo consome mais de 4 horas.Existem diversos casos de pessoas que despreparadas se perderam em meio a mata fechada.
Os percursos Gavião e Maranguapinho possuem um trecho comum já no alto da Serra de Maranguape. Isto ocorre a menos de 200m da chegada ao topo. Podemos considerar então a existência da Trilha Norte (Maranguapinho) e da Trilha Sul (Gavião).
 
Utilizador anónimo