Diferenças entre edições de "Renato Castellani"

144 bytes adicionados ,  11h10min de 14 de janeiro de 2016
A experiência como conselheiro militar para as gravações externas do filme ''Il grande appello'', em 1936, permitiu-lhe trabalhar como autor de roteiros. Seus primeiros filmes como roteirista são, no entanto, de pouco interesse. Em 1940, como assistente de direção, teve suas primeiras impressões da atividade de diretor cinematográfico. No ano seguinte, estreou finalmente na função de cineasta, com o filme ''Un colpo di pistola'', baseado em um conto de [[Alexandre Pushkin|Pushkin]]. Neste filme, no qual Castellani trabalha ainda como ator, já é possível identificar um estilo próprio de direção.
 
Os dois filmes seguintes assumiram a forma e o conteúdo do movimento neorrealista italiano. ''Sob o Sol de Roma'' (''Sotto il sole di Roma'') forma, ao lado de ''É Primavera'' (''È primavera...'') e ''Dois Vinténs de Esperança'' (''Due soldi di speranza'') – vencedor do [[Grand Prix (Festival de Cannes)|Grand Prix]] do [[Festival de Cannes]], que à época era o prêmio máximo do festival –, uma trilogia dedicada ao tema da sobrevivência em meio à [[Segunda Guerra Mundial]]. Seguindo a estética neorrealista, os três filmes contém apenas cenas externas e atores são não-profissionais ou semi-profissionais. Por conteremincluirem elementos de comédia, estesno trêsentanto, filmesfundaram costumamum sernovo classificadosestilo, pelaque críticaposteriormente comoseria pertencenteschamado aopela crítica de [[neorrealismo rosa]].
 
Nos filmes seguintes Castellani afastou-se do neorrealismo. Seu primeiro filme em cores, [[Romeu e Julieta (1954)|Romeu e Julieta]] (''Romeo and Juliet''), com Susan Shentall e [[Laurence Harvey]] nos papéis principais, conquistou o [[Leão de Ouro]] do [[Festival de Veneza]]. Il brigante (1961), por sua vez, venceu o prêmio FIPRESCI. Seu filme seguinte, ''Una breve stagione'', de 1969, marca a transição para a última fase de sua carreira, em que dedicou-se ao trabalho para a televisão. As realizações mais notáveis deste período são duas mini-séries biográficas, que receberam reconhecimento internacional<ref> Roberto Poppi: Dizionario del cinema italiano, I registi, Gremese 2002, S. 98/99</ref>: ''A Vida de Leonardo Da Vinci'' (''La vita di Leonardo da Vinci'', 1971) e ''Giuseppe Verdi - Sua Vida, Sua Obra'' (''Verdi'', 1982).
759

edições