Abrir menu principal

Alterações

1 303 bytes adicionados, 20h24min de 16 de janeiro de 2016
Mais conteúdo e acertos
A estação de Viana do Castelo foi uma das contempladas nos programas dos Expressos Populares, excursões organizadas pela Companhia dos Caminhos de Ferro.<ref>{{Citar periódico|paginas=235|titulo=Os Expressos-Populares e o prazer de conhecer o País|numero=1553| volume=65|data=1 de Setembro de 1952|jornal=Gazeta dos Caminhos de Ferro|url=http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/OBRAS/GazetaCF/1952/N1553/N1553_master/GazetaCFN1553.pdf|acessodata=21 de Setembro de 2015}}</ref>
 
[[File:Plano da Rede Ferroviaria Complementar ao Norte do Mondego.jpg|thumb|left|Mapa dos projectos complementares à Rede ao Norte do Mondego, decretados em 15 de Fevereiro de 1900. Entre as linhas planeadas, estáincluindo a Linha do Vale do Lima, de Viana a Ponte da Barca, com a sua continuação até Lindoso.]]
===Ligação prevista ao Vale do Lima===
{{Artigo principal|Linha do Vale do Lima}}
 
Posteriormente, foram adjudicados os troços de Braga a Monção e de Ponte da Barca a Viana, que não chegaram a ser construídos.<ref name=Gazeta1139/> Em 1 de Abril de 1930, um decreto reviu os planos da rede ferroviária, tendo sido classificadas, entre outras linhas, a do Litoral do Minho, continuando a [[Linha da Póvoa]] até Viana do Castelo, com 38 quilómetros por construir, e a do Vale do Lima, com 45 quilómetros de extensão.<ref name=Gazeta1139>{{Citar periódico|paginas=235-237|titulo=A Crise Actual de Viação e os nossos Caminhos de Ferro de Via Estreita|autor=SOUSA, José Fernando de|data=1 de Junho de 1935|jornal=Gazeta dos Caminhos de Ferro| volume=47|numero=1139|url=http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/OBRAS/GazetaCF/1935/N1139/N1139_master/GazetaCFN1139.pdf| acessodata=28 de Novembro de 2013}}</ref>
 
==Referências literárias==
No primeiro volume da obra '''[[As Farpas]]''', de [[Ramalho Ortigão]], é descrita a estação de Viana do Castelo:
 
{{quote2|''O viajante é agradavelmente surpreendido, logo ao chegar, pelo aspecto da gare, uma das maiores e a mais bela do País Esta construção, dirigida por um jovem engenheiro do Porto, reúne a uma perfeita elegância de linhas gerais e a uma harmonia de proporções a mais esmerada mão-de-obra, o mais fino acabamento de todos os detalhes. O granito empregado é o mais belo que se pode ver, e o modo como ele se acha trabalhado desafia toda a comparação. Uma única impressão amarga paira sobre o espírito dos viajantes ao encontrarem-se dentro deste vasto edifício. Acomete-os naturalmente o desgosto de serem tão poucos para tanta casa. E à noite, no silêncio que se sucede à partida do trem em que viemos, há uma tristeza saudosa em ouvir neste palácio de grande cidade o bucólico respiro nocturno do campo e das aldeias: o cantar dos grilos roupeiros entre os milhos e o ladrar longínquo dos cães de quinta, como nos simples apeadeiros dos pequenos círculos rurais ao longo da via férrea minhota.''|Ramalho Ortigão, ''As Farpas'', p. 18}}
 
== Ver também ==
==Bibliografia==
*{{citar livro|autor=FERNANDES, Mário Gonçalves|título=Viana do Castelo|subtítulo=A Consolidação de uma Cidade (1855-1926)|local= Lisboa|editora=Edições Colibri|ano=1995|páginas=185|id=ISBN 972-8288-06-9}}
*{{Citar livro|autor=ORTIGÃO, Ramalho|autorlink=Ramalho Ortigão|título=As Farpas|subtítulo=O País e a Sociedade Portuguesa|ano=1986| puborig=1890|local=Lisboa|editora=Clássica Editora|páginas=276|volume=1|volumes=15}}
{{commonscat|Viana do Castelo train station|a Estação de Viana do Castelo}}
== Ligações externas ==