Abrir menu principal

Alterações

2 707 bytes adicionados, 12h19min de 2 de fevereiro de 2016
[[Ficheiro:Sophie of Prussia and Constantine I of Greece.jpg|miniaturadaimagem|esquerda|Foto de noivado de Sofia e Constantino. Ambos estão de luto pelo pai de Sofia.]]
 
=== Morte do pai ===
Após uma longa estadia em Inglaterra para celebrar o Jubileu de Ouro da sua avó, Sofia conheceu melhor o príncipe-herdeiro [[Constantino I da Grécia|Constantino da Grécia]] ("''Tino''") no verão de 1887. A rainha observava a sua relação cada vez mais próxima e escreveu: "''Haverá alguma hipótese de a Sofia se casar com o Tino? Seria muito agradável para ela e para ele é excelente''".<ref>Gelardi, p. 18.</ref> No entanto, este período coincidiu com uma época infeliz para a família de Sofia, uma vez que o seu pai, o imperador [[Frederico III da Alemanha|Frederico III]], estava a morrer de forma agonizante devido a um cancro na gargantalaringite. A sua esposa e filhos estavam sempre presentes no seu quarto no Novo Palácio, mesmoe foi no dia dedo aniversário de Sofia que o estado do imperador piorou de forma irreversível. Nesse dia, o pai de Sofia tinha planeado fazer um piquenique com a família para celebrar a ocasião, mas, depois de uma madrugada muito complicada, às sete da manhã, um dos criados pegou no ramo de flores que Frederico tinha encomendado para a filha e colocou-o ao seu lado na cama.<ref>{{citar livro|nome = Hannah|sobrenome = Pakula|título = "An Uncommon Woman - The Empress Frederick"|ano = 1995|isbn = 13 978-1-8421-2623-3|página = 541|editora = Phoenix}}</ref> O imperador morreu no dia seguinte. O irmão mais velho de Sofia, agora imperador da Alemanha, não demorou a explorar as coisas do pai, na esperança de encontrar "''provas incriminatórias''" de "''conspirações liberais''". Sabendo que as suas três filhas mais novas dependiam mais dela para encontrar apoio moral, a imperatriz-viúva dedicou-se mais a elas. "''Tenho as minhas três doces meninas - de quem ele gostava tanto - e que são a minha consolação''".<ref>Gelardi, p. 20.</ref>
 
=== Casamento e controvérsia com a família ===
Durante este período triste, Sofia aceitou o pedido de casamento do príncipe-herdeiro Constantino, algo visto como ''um desenvolvimento pouco surpreendente tendo em conta a atmosfera fúnebre que prevalecia em casa da sua mãe viúva''.<ref>Gelardi, p. 21.</ref> A 27 de outubro de 1889, Sofia casou-se com Tino em [[Atenas]], na Grécia. Os dois eram primos em terceiro grau através do czar [[Paulo I da Rússia]] e primos em segundo grau através do rei [[Frederico Guilherme III da Prússia]]. Havia uma antiga profecia grega que dizia que quando Constantino e Sofia reinassem, a Grécia voltaria a ser grande e a cidade de [[Constantinopla]] caíra emnas suas mãos.<ref>Gelardi, p. 22.</ref> Segundo a avó de Sofia, a rainha [[Vitória do Reino Unido|Vitória]], 'Tino', "''não é muito inteligente, mas tem um bom coração e um bom carácter (...) e isso vale muito mais do ser esperto.''"<ref name=":0">{{citar livro|nome = Hannah|sobrenome = Pakula|título = An Uncommon Woman - The Empress Frederick|ano = 1995|isbn = 13 978-1-8421-2623-3|página = 575|editora = Phoenix}}</ref>
 
Este casamento levou a vários conflitos nade famíliaordem dereligiosa Sofiaem ambas as famílias, causados principalmente dapela partecunhada dade Sofia, a imperatriz [[Augusta Vitória de Schleswig-Holstein|Augusta Vitória]], conhecida na família por ''Dona,'' e esposapelo domarido dela e irmão de Sofia, o kaiser [[Guilherme II da Alemanha|Guilherme II]]., Quandoassim Sofiacomo anuncioupela a sua intençãomãe de seConstantino, convertera dorainha evangelismo[[Olga paraConstantinovna ada [[IgrejaRússia|Olga Ortodoxada GregaGrécia]],. algoAugusta a queVitória era obrigadaextremamente segundoreligiosa ase leisnão daaceitou suabem novaa Casaideia Real,de Dona mandou-a chamarsua ecunhada disse-lhese que,casar secom elaum opríncipe fizesse,ortodoxo. nãoQuando expôs o seucaso irmãoao marido, o achariakaiser inaceitáveldeclarou que, umase vezSofia quealguma eravez elese oconvertê-se Chefe daà Igreja Evangélica dasOrtodoxa, provínciasnunca mais antigasa dadeixaria [[Reinoregressar daà Prússia|Prússia]],Alemanha. comoNa seriaaltura tambémdo expulsacasamento, daesta Alemanhaquestão parafoi sempreresolvida, etendo-se arealizado suaduas almacerimónias, seriauma condenadaevangélica aoe infernooutra ortodoxa.<ref Sofianame=":0" respondeu/> queNo entanto, a suapoucos cunhadadias nãodo tinhacasamento, nadao akaiser vervoltou coma ascontrariar decisõesos quedesejos elada tomava.irmã Donae ficouda tãomãe, histéricaquando queas oinformou filhode que esperava, oao príncipecontrário [[Joaquimdo daque Prússia|Joaquim]]estava previsto, acaboua porsua nasceresposa prematuro,estaria levandopresente ana cerimónia e que Donaos sedois dedicasseiam ardentementelevar aconsigo eleum parapastor oextremamente restoconservador da vidasua confiança, achando-oKögel, maispara delicadocelebrar doa que oscerimónia irmãosevangélica. GuilhermeA tambémmãe ficoude furiosoSofia, tendoVitória, escritoescreveu numauma carta indignada à mãesua quemãe, sea orainha seu bebé morresseVitória, Sofiasobre seriao responsável pelo seu assassinato.assunto:
 
"''E anunciaram isto (...) sem me consultarem a mim nem a Sofia!!! Eles sabem que tanto eu como o Fritz [[[Frederico III da Alemanha]]] detestamos o Kögel e já tinha ficado combinado há vários meses que seria o capelão alemão do rei da Grécia, o Dr. Peterson (...) a realizar a cerimónia protestante!!! Eles tiveram mais de um ano para pensar e conversar sobre isto (...) O mais provável é que a Dona soubesse que eu e a Sofia não íamos concordar com isto, por isso combinaram tudo atrás das minhas costas (...) Só tenho receio que o Willy [o rei Jorge I] da Grécia fique magoado por nunca ninguém ter pedido também a opinião dele!''"<ref name=":0" />
 
Quando Sofia anunciou a sua intenção de se converter do evangelismo para a [[Igreja Ortodoxa Grega]], algo a que era obrigada segundo as leis da sua nova Casa Real, Dona mandou-a chamar e disse-lhe que, se ela o fizesse, não só o seu irmão o acharia inaceitável, uma vez que era ele o Chefe da Igreja Evangélica das províncias mais antigas da [[Reino da Prússia|Prússia]], como seria também expulsa da Alemanha para sempre e a sua alma seria condenada ao inferno. Sofia respondeu que a sua cunhada não tinha nada a ver com as decisões que ela tomava. Dona ficou tão histérica que o filho que esperava, o príncipe [[Joaquim da Prússia|Joaquim]], acabou por nascer prematuro, levando a que Dona se dedicasse ardentemente a ele para o resto da vida, achando-o mais delicado do que os irmãos. Guilherme também ficou furioso, tendo escrito numa carta à mãe que, se o seu bebé morresse, Sofia seria responsável pelo seu assassinato.
 
== Rainha da Grécia ==
8 392

edições