Diferenças entre edições de "André do Amaral"

25 bytes removidos ,  18h03min de 20 de fevereiro de 2016
Nome correcto do autor, conforme consta na edição referida
(Nome correcto do autor, conforme consta na edição referida)
[[Chanceler-Mor]], [[Embaixador]] e [[Conservador-Geral]] da [[Ordem de Rodes]] (depois de [[Malta]]), e nela [[Comenda]]dor de [[Vera Cruz (Portel)|Vera Cruz]], [[Ansemil]], [[Chavão]], [[Vila Cova]], [[Alcafache]] e [[Fontelo]]. Foi um dos Substitutos dos [[Procurador]]es do [[Tesouro]] no Quarto [[Capítulo-Geral]] do [[Grão-Mestre]] [[Pierre d'Aubusson]] em [[Rodes]], [[Conservador Conventual]], [[General]] das [[Galé]]s de Religião e [[Embaixador Extraordinário]] do Grão-Mestre [[Philippe Villiers de l’Isle-Adam]] para tratar com o [[Governo]] de D. [[Manuel I de Portugal]] de negócios relativos ao [[Priorado do Crato]] contra o [[Provimento]] do 1.º [[Conde de Tarouca]], [[Dom (título)|D.]] [[João de Meneses, 1.° Conde de Tarouca|João de Meneses]].<ref name="GEPB266"/>
 
[[Frei]] André do [[Amaral]] foi, também, do [[Fidalgo do Conselho|Conselho]] de D. Manuel I de Portugal.<ref name="GEPB266"/><ref>"Armorial Lusitano", Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 3.ª Edição, Lisboa, 1987, p. 52</ref><ref name=AV>{{citar livro|autor=[[Manuel Eduardo Maria Machado de Abranches de Soveral]]|título=Ascendências Visienses. Ensaio genealógico sobre a nobreza de Viseu. Séculos XIV a XVII|editora=ISBN 972-97430-6-1|ano=Porto, 2004|páginas=|id=}}</ref>
 
A 21 de Novembro de 1513, D. Manuel I deu privilégio para que todos, incluindo os [[homiziado]]s, os frequentadores da [[feira]] anual de Vera Cruz, para que possam ir, estar e voltar a suas casas com segurança, três dias antes e três depois da feira. André do Amaral, enviado do Grão-Mestre por seu Embargador e Comendador, mostrou uma Carta de D. [[Afonso V de Portugal]] concedendo o mesmo privilégio.<ref>Chancelaria de D. Manuel I, Livro 42, Fólio 122</ref><ref name=AV/>
Utilizador anónimo