Diferenças entre edições de "Educação no Brasil"

22 bytes removidos ,  21h35min de 20 de fevereiro de 2016
Melhorando o conteúdo sobre a história da Educação.
(aj.)
(Melhorando o conteúdo sobre a história da Educação.)
[[Imagem:PalácioUniv.jpg|thumb|180px|Palácio Universitário da [[Universidade Federal do Rio de Janeiro]], a primeira instituição de ensino superior do Brasil (1792), além de ser a maior<ref name="maioruf">[http://www.noticias.uff.br/noticias/2011/02/matriculas_2009.pdf UFRJ como a maior Universidade Federal]</ref> e melhor<ref>{{Citar web |url=http://www.topuniversities.com/university-rankings/latin-american-university-rankings/2012|titulo=QS Latin University Rankings|acessodata=15 de junho de 2012}}</ref> universidade federal do país.]]
 
Os [[explorador]]es [[Portugal|portugues]]es chegaram no [[Brasil]] no [[século XV]] e começaram a colonizar suas novas terras no [[Novo Mundo]], encontraram um território que era habitado por diversos [[povo]]s e [[tribo]]s [[indígena]]s que não tinham desenvolvido um sistema de [[escrita]] e nem a educação escolar.
 
A [[Companhia de Jesus]] ([[Jesuítas]]), foi fundada por Inácio de Loyola em 15 de agosto de 1534 na capela- cripta de Saint-Denis, na Igreja de Santa Maria em Montmartre. Desde o seu início, em 1540, com um fim missionário. A [[evangelização]] foi uma das principais metas dos Jesuítas, mas o ensino e a educação também eram metas da Companhia, tanto na Europa como no exterior. As atividades missionárias, tanto nas cidades quanto no campo, foram complementadas por um forte compromisso com a [[educação]]. Este assume a forma da abertura das escolas para os jovens rapazes, em primeiro lugar na [[Europa]], mas rapidamente alargado à [[América]] e [[Ásia]]. A fundação de missões [[católica]]s, escolas e [[seminário]]s foram outra consequência do envolvimento dos jesuítas com a educação. Como os países e culturas onde os jesuítas estiveram presentes eram muito diferentes, seus métodos de evangelização mudavam de um lugar para outro. No entanto, o envolvimento da [[sociedade]] no [[comércio]], [[arquitetura]], [[ciência]], [[literatura]], [[idioma]]s, [[arte]]s, [[música]] e debate religioso correspondiam, na realidade, para a mesma finalidade principal da [[cristianização]]. Em meados do [[século XVI]] os jesuítas estavam presentes na [[África Ocidental]], [[América do Sul]], [[Etiópia]], [[Índia]], [[China]] e [[Japão]]. Este alargamento da atividade missionária tomou forma, em grande medida, no auge do [[Império Português]]. Poucos anos depois de chegarem ao Brasil, os portugueses perceberam que precisavam investir não apenas em educação missionária, mas na educação dos filhos dos colonos que moravam no país. Assim, em 1564 os jesuítas fundaram o primeiro colégio do Brasil, na Bahia, direcionado principalmente à educação de filhos de portugueses.<ref>{{citar web |url=http://educarparacrescer.abril.com.br/historia-educacao/index.shtml |título=Beabá do Brasil |publicado=Portal Educar para Crescer |data= |acessodata=20/05/2013 }}</ref>
[[Imagem:grevecefet.jpg|esquerda|thumb|220px|Muitas das [[universidade]]s públicas vêm sofrendo [[greve]]s e paralisações nas últimas décadas.]]
 
O Brasil alcançou a [[Independência do Brasil|independência]] em 1822, e até o [[século XX]], foi uma grande nação rural, com baixos padrões sociais e econômicos em comparação com a média de norte-americanos e europeus da época. Sua economia era baseada no [[setor primário]], possuindo uma população ativa cada vez maior e menos qualificada, composta por descendentes de europeusportugueses, indígenasíndios e escravos africanos ou seus descendentes diretos. Entre as primeiras escolas de direito fundadas no Brasil, estão as de [[Recife]] e [[São Paulo (cidade)|São Paulo]], em 1827, mas por muitas décadas, a maioria dos advogados brasileiros ainda estudava em universidades europeias, tal como na antiga [[Universidade de Coimbra]].
 
Com a [[História econômica do Brasil|maciça expansão do pós-guerra]], que dura até hoje, o governo do Brasil centrou seus investimentos na [[educação superior]] e, consequentemente, negligenciou a assistência aos ensinos [[Ensino básico|básico]] e [[Ensino secundário|secundário]]<ref>[http://www.mre.gov.br/cdbrasil/itamaraty/web/port/polsoc/educa/apresent/apresent.htm Educação]</ref>.
Hoje, o Brasil se esforça para melhorar a educação pública oferecida em fases anteriores e manter os altos padrões que a população espera das universidades públicas.
 
Apesar das suas deficiências, o Brasil avança substancialmente desde a [[décadaDécada de 19801990]]. A nação assistiu a um aumento da matrícula escolar para crianças com idades compreendidas entre os 7 e 14 anos, de 80,9% em 1980 para 96,4% no ano 2000. Na idade entre 15 e 16 anos esta taxa subiu, no mesmo período, de 49,7% para 83%.<ref>[http://www.edudatabrasil.inep.gov.br/ Edudata Brasil]</ref> As taxas de [[literacia]] subiram, de 75% para 90% em 2007.<ref name="g1.globo.com"/>
 
== Organização e estrutura ==
Utilizador anónimo