Abrir menu principal

Alterações

18 bytes adicionados ,  19h58min de 25 de fevereiro de 2016
m
→‎top: Resolvendo desambiguação cônsul e outros ajustes utilizando AWB
|nome =Sidônio Apolinário
|data_nascimento =
|local_nascimento =[[Lugduno]]</br />(atual [[Lyon]])
|data_morte =
|local_morte =[[Clermont-Ferrand]]
|autor_passagem =
}}
'''Caio Sólio Apolinário Sidônio''' (em [[latim]] ''Gaius Sollius Sidonius Apollinaris''; [[Lugduno]], c. [[430]] - [[Clermont-Ferrand]] c. [[486]]), [[poeta]], alto funcionário do [[Império Romano]], [[bispo]] e [[santo]] da [[Igreja Católica]], foi "o autor individual sobrevivente mais importante da [[Gália]] do quinto século" <ref>{{citar web|url = http://www.freerepublic.com/focus/news/833941/posts |título = The Fall of the Roman Empire Revisited: Sidonius Apollinaris and His Crisis of Identity' |acessodata = 15/3/2008|autor = Goldberg, Eric J. |língua = inglês }}</ref>. A amplitude de seus conhecimentos o tornaram centro da vida pública de sua época.
 
Era de descendência nobre, com pai e avô cristãos e prefeitos do pretório da [[Gália]]. Casou-se por volta de [[452]] com Papianilla, filha de [[Ávito]], que era então [[Cônsul (Roma Antiga)|cônsul]] e depois foi proclamado [[lista de imperadores romanos|imperador romano]] do Ocidente em [[455]], que ergueu no [[Fórum de Trajano]] uma estátua de seu genro e deu-lhe o título de [[conde]].
 
Em [[457]], caiu nas mão de [[Majoriano]], que havia privado Ávito do império e tomado a cidade de [[Lyon]]. A reputação de seu conhecimento levou Majoriano a tratá-lo com imenso respeito. Em troca, Apolinário compôs um panegírico em sua honra (que ele havia feito previamente para Ávito). Em [[467]], o imperador [[Antêmio]] o recompensou pelo panegírico que ele havia escrito em sua honra elevando-o ao posto de prefeito urbano de [[Roma]], e em seguida à dignidade de patrício e [[Senado romano|senador]].
 
Em [[472]], mais por sua habilidades políticas que teológicas, ele foi escolhido para suceder Epárquio no bispado de Arverni ([[Clermont-Ferrand]]). A maior parte dos ocupantes desse posto (inclusive ele) foram feitos santos da [[Igreja Católica Romana]], inclusive seu recente predecessor, [[São Namácio]] (bispo [[446]]-[[462]]), que iniciou as fundações de uma catedral adequada. Sidônio Apolinário não era um homem religioso; sua eleição foi provavelmente devido mais aos seus contatos influentes, e aos seus incansáveis esforços na preservação de seu pedaço da Gália para o [[Império Romano]].
 
Sua festa litúrgica é [[21 de agosto]].
 
{{referências}}
191 214

edições