Diferenças entre edições de "Música católica popular"

27 bytes removidos ,  02h13min de 4 de março de 2016
m
(→‎{{Ver também}}: Mais um item.)
No final da [[década de 1970]] e começo de [[Década de 1980|1980]], com a ascensão do movimento da [[Renovação Carismática Católica]], a música católica popular começou a ganhar variedade. Começa a despontar o padre [[Jonas Abib]], da [[Comunidades novas|Comunidade católica]] [[Renovação Carismática Católica|carismática]] [[Canção Nova]], que começou timidamente com suas próprias canções em [[1977]], depois gravando, aos poucos, as músicas católicas populares que iam sendo compostas, mas também inserindo músicas do [[Pentecostalismo]] e [[Neopentecostalismo]] dentro da [[Igreja Católica]], até pela escassez de músicas católicas que se adequassem à nova realidade.
 
Para incentivar o surgimento de compositores católicos, começaram a aparecer Festivais da Música Católica, dos quais saíram grandes compositores da atualidade como [[Nelsinho Corrêa]] e Eugênio Jorge. Padre Jonas, então, começou a dar prioridade a estes, fazendo sucesso com canções como: "Vem Maria Vem", "Mexe e Remexe", "Estás Entre Nós", "Escolhida", "Brisa Leve", "Te Dar a Paz", "Vem, Espírito de Deus" e "Quem é Esta Que Avança Como a Aurora".
 
Contemporaneamente a Padre Jonas, a Associação do Senhor Jesus, de uma iniciativa do intérprete Kater, começou a produzir a coleção ''Louvemos o Senhor'', em [[1977]]. Essa coleção segue os moldes do iniciante Padre Jonas, trazendo à tona músicas regionais e levando-as para a realidade católica nacional, junto de algumas canções [[pentecostais]] e [[neopentecostais]]. São famosas as canções "Senhor, Tu és o Meu Deus Forte", "Pelos Prados e Campinas", "A Alegria", "Glória a Deus", "Porque Ele Vive", "Quero Louvar-Te". A coleção até hoje vem ajudando as pessoas a se encontrarem com Deus. Sendo editada anualmente pela ASJ.
Em 1995, a música católica popular brasileira foi revolucionada com a aparição de uma banda, surgida dentro dos meios carismáticos, e que usou do gênero [[pop]] para cativar os jovens. Lançada pela Paulinas COMEP, a [[Vida Reluz]], liderada pelo cantor [[Walmir Alencar]], mudou o curso da música católica popular brasileira, com canções como: ''"[[De Coração]]"'', ''"[[Perfeito É Quem Te Criou]]"'', ''"[[Como És Lindo]]"'', ''"[[Deus Quero Louvar-Te]]"'', ''"[[Confia em Mim]]"'', ''"[[Deus Imenso]]"'', entre outras.
 
Surgiram, para concorrer com a Vida Reluz, a Banda Canção Nova (que logo depois acabou, tendo seus membros - [[Adriana Paula de Almeida|Adriana]], [[Dunga (cantor)|Dunga]] e [[Flavinho]] - seguindo carreira solo) e [[Nelsinho Corrêa]], lançados pela Comunidade Canção Nova.
 
Em 1997, gravadoras seculares, observando o sucesso das músicas católicas populares, decidiram investir em padres simpáticos. A [[Universal Music Group]] lançou [[Padre Antônio Maria]] e a [[Sony BMG]] lançou [[Padre Marcelo Rossi]]. A Sony levou a melhor: o carisma de Padre Marcelo arrastou multidões, tornando-se, posteriormente, um dos maiores vendedores de discos do país, ultrapassando até cantores seculares famosos, como [[Ivete Sangalo]].
692 206

edições