Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 10h24min de 4 de março de 2016
sem resumo de edição
Há, mesmo assim, probabilidades de sucesso nestas ações: aqueles que agem motivados por um ideal podem produzir efeitos objetivos na realidade, ainda que no curso de sua ação tenham que modificá-la para adaptá-la às circunstâncias até então desconhecidas.
 
É preciso, no entanto, ressaltar que a ciência não pode resolver os problemas impostos pela ação. Aquela não pode indicar quais os melhores fins para esta, pode somente indicar os meios mais eficazes para atingi-los uma vez escolhidos. A ciência, portanto, não se propõe a efetuar juízos de valor a respeito das ações individuais ou da organização social, não poderá solucionar seus problemas. Poderá sim criticá-los enquanto não lógicos, ou seja, pautados numa relação falsa, não objetiva, entre meios e fins. [[Karl Popper]] o considerou o "teórico do fascismo".<ref>Mandelbrot, Benoit; Richard L Hudson (2004). ''The (mis)behavior of markets : a fractal view of risk, ruin, and reward.'' New York: Basic Books. pp. 152–155.</ref>
 
==Bibliografia==
Utilizador anónimo