Diferenças entre edições de "Carlos Tê"

445 bytes adicionados ,  16h03min de 10 de março de 2016
sem resumo de edição
Etiqueta: Possível conteúdo ofensivo
'''Carlos Alberto Gomes Monteiro''' ([[Cedofeita]], [[Porto]]; [[14 de Junho]] de [[1955]]) é um [[letrista]] e [[escritor]] [[Portugal|português]].
 
Tornou-se notado com a edição do álbum "Ar de Rock" de [[Rui Veloso]]<ref name="INFORUI"/>, para o qual deu a sua contribuição como letrista. Antes escrevia em inglês mas foi desafiado a escrever na nossa língua. Além dos primeiros discos de Rui Veloso também colaborou com [[Salada de Frutas]] (1981), [[Jafumega]] (1982) e [[Trovante]](1983). <ref name="VIDAS"/> Em 1986 licenciou-se em filosofia na [[Universidade do Porto]]
 
Alguns dos temas de Rui Veloso tinham letra e música da sua autoria como "Chico Fininho", "Máquina Zero, entre outros. Carlos Tê é igualmente cantor, como demonstrou no álbum "A Voz e a Guitarra" de 1997.
 
Também escreveu letras para os [[Clã (banda)|Clã]], desde 1996, tendo mesmo co-produzido os primeiros discos do grupo. Entretanto também escreveu para outros nomes como ADN (1998), Cabeças No Ar (2002), [[Jorge Palma]] (2004), [[Mariza]], Ala dos Namorados (2007 e 2015), [[AnaAndré MouraSardet]] (20162008).<ref name="INFOJORGE"/> oue [[JafumegaAna Moura]] (2016).<ref name="VIDASINFOJORGE"/>.
 
O disco "[[Cabeças no Ar]]" (2002) veio a dar origem a um musical (2005) dedicado ao universo da escola incluindo o abandono escolar. "Amor Solúvel" (2010) foi um novo musical para aproveitar as canções dos Pepsonautas, um grupo imaginário que tinha criado [http://www.correiodoporto.pt/do-porto/carlos-te]. "Missa do Galo", o terceiro musical, foi escrito em parceria com [[Manuel Paulo Felgueiras]]. Escreveu o livreto da ópera "Mumadona" encomenda de Guimarães 2012 [http://visao.sapo.pt/jornaldeletras/teatroedanca/carlos-azevedo-uma-opera-vimaranense=f702129] “Um Fio de Jogo” é uma peça de 2014 sobre o fenómeno do futebol. O texto e a direção musical são de Carlos Tê, a encenação de Luísa Pinto e a interpretação de Pedro Almendra.
 
Carlos Tê escreveu para o jornal "[[Público (jornal)|Público]]" uma série de crónicas, que marcaram a sua presença todos os meses, entre 1991 e 1994, no caderno Local do referido jornal. Nos últimos anos tem sido uma presença assídua como cronista no jornal [[Expresso (Portugal)|Expresso]].
Colaborou em revistas de poesia (''Avatar, Quebra-Noz, Pé-de-Cabra'', editadas no Porto entre 1978 e 1981). Tem um romance publicado (O Voo Melancólico do Melro) e três contos (Contos Supranumerários) (edição de Abril de 2001).
 
Portista ferrenho, foi um dos ''Moderados de Paranhos'' que em 2003 lançaram o [[single]] "Um Pouco Mais de Azul" e em 2016 colaborou no disco "Tanto Porto".
 
{{referências|refs=
Utilizador anónimo