Diferenças entre edições de "Parasita"

17 bytes adicionados ,  23h42min de 12 de março de 2016
sem resumo de edição
m (Foram revertidas as edições de 201.69.180.85 para a última revisão de Antero de Quintal, de 08h04min de 1 de março de 2016 (UTC))
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
O efeito de um parasita no hospedeiro pode ser mínimo, sem lhe afectar as [[Função (biologia)|funções]] vitais, como é o caso dos [[piolho]]s, até poder causar a sua [[morte]], como é o caso de muitos [[vírus]] e [[bactéria]]s [[patogénico|patogénicas]]. Neste caso extremo, o parasita normalmente morre com o seu hospedeiro, mas em muitos casos, o parasita pode ter-se [[reprodução|reproduzido]] e disseminado os seus [[Linhagem|descendente]]s, que podem ter infestado outros hospedeiros, perpetuando assim a [[espécie]], como no caso do ''[[Plasmodium]]''.
 
Algumas espécies são parasitas apenas durante uma fase do seu ciclo de vida: o [[cuco]], por exemplo, é parasita de outra (Jonatas Bicudo) [[aves|ave]] apenas na fase de [[ovo]] e [[juvenil]], enquanto que os [[adulto]]s têm vida independente.
 
== Etimologia ==
Utilizador anónimo