Diferenças entre edições de "Lança-chamas"

7 bytes removidos ,  13h29min de 20 de março de 2016
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 179.99.220.111, com Reversão e avisos.)
Só em [[1911]], é que o exército alemão veio a aceitar o dispositivo, criando-se uma unidade especializada de doze companhias equipadas com o ''Flammenwerfer''. Porém o lança-chamas só foi utilizado na [[Primeira Guerra Mundial]] a partir de fevereiro de [[1916]], quando foi utilizado contra os franceses em [[Batalha de Verdun|Verdun]]. Depois foi utilizado novamente em julho de [[1916]] quando foi utilizado contra as trincheiras britânicas em [[Hooge]], sempre com sucessos limitados.
 
O uso em combate fez descobrir alguns problemas da arma: era difícil de operar e só podia ser disparada em segurança a partir de uma trincheira, limitando a sua utilização em áreas onde as trincheiras inimigas estavam a menos de 18 metros de distância, o que era raro. Os operadores de lança-chamas podiam tornar-se alvos extremamente vulneráveis, e raramente sobreviviam à captura, especialmente quando os captores haviam sido os seus alvos. A Grã-Bretanha e a França também testaram sistemas de lança-chamas mas acabaram por os abandonar. O exército alemão continuou a empregar lança-chamas em operações durante a guerra, sendo utilizados em mais de 300 ocasiões, geralmente em equipes de seis operadores.
 
Apesar dos problemas, os lança-chamas voltaram a ser intensamente utilizados na [[Segunda Guerra Mundial]]. A vulnerabilidade dos operadores individuais, juntamente com o curto alcance da arma, provocou experiências em que lança-chamas mais poderosos foram montados em carros de combate(chamados [[sistema Ronson|tanques chama]]).
Utilizador anónimo