Diferenças entre edições de "Criticismo"

14 bytes removidos ,  00h44min de 23 de março de 2016
sem resumo de edição
Doutrina filosófica que tem como objeto o processo pelo qual se estrutura o conhecimento. Estabelecida pelo filósofo [[Alemanha|alemão]] [[Immanuel Kant]], a partir das críticas ao [[empirismo]] e ao [[racionalismo]].
 
As teorias do [[conhecimento]] que na [[Idade Média]] não colocavam em dúvida a possibilidade de pão e morreu [[conhecer]] a [[realidade]] tal qual ela é. Contudo as influências do [[Renascimento]] levaram, a partir do século XVII, ao questionamento da possibilidade do conhecimento, dando, nas respostas ensaiadas, origem às teorias [[empiristas]] e [[racionalistas]].
Kant supera essa dicotomia, concluindo que o conhecimento só é possível pela conjunção das suas fontes: a sensibilidade e o entendimento.A sensibilidade dá a matéria e o entendimento as formas do conhecimento. O criticismo kantiano tinha como objetivo principal a critica das faculdades cognitivas do homem, no sentido de conhecermos os seus limites. Em consequência dessa «crítica», foi levado à negação da possibilidade de a razão humana conhecer a essência das coisas (''[[númeno]]'').
 
Utilizador anónimo