Abrir menu principal

Alterações

15 bytes removidos ,  02h19min de 6 de abril de 2016
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 186.251.52.152, com Reversão e avisos.
== Formação e evolução ==
[[Ficheiro:EtaCarinae.jpg|thumb|250px|esquerda|[[Eta Carinae]] é uma estrela em fase de explosão, e já começou a formar uma nebulosa planetária.]]
=== Origem das nebulosas ===
[[Ficheiro:HRDiagram-es.png|thumb|250px|direita|[[Diagrama de Hertzsprung-Russell]]. As estrelas estão na [[sequência principal]] a maior parte da sua existência. Finalmente, quando o [[hidrogênio]] começa a escassear, tornam-se [[gigantes vermelhas]] (em cima-direita). Finalmente, se a estrela se encontra entre 1 e 8 [[massa solar|massas solares]] aproximadamente, torna-se [[anã branca]] (embaixo), com um raio muito pequeno, e gera uma nebulosa planetária.]]
As nebulosas planetárias são formadas quando uma [[estrela]] que possui entre 0,8 e 8 [[massa solar|massas solares]] (M<sub>⊙</sub>) esgota o seu combustível nuclear. Acima do limite de 8 M<sub>⊙</sub> a estrela explodiria, originando uma [[supernova]].<ref name="Macel2009">{{Citar periódico |autor=Maciel, W.J.; Costa, R.D.D.; Idiart, T.E.P. |ano=2009|título=Planetary nebulae and the chemical evolution of the Magellanic Clouds |publicação=Revista Mexicana de Astronomía y Astrofísica |volume=45|número=|páginas=127-137|url=http://adsabs.harvard.edu/abs/2009RMxAA..45..127M |dataaccesso=28 de novembro de 2009}}</ref>