Diferenças entre edições de "Cibercultura"

19 bytes adicionados ,  14h42min de 14 de abril de 2016
m
Foram revertidas as edições de 189.101.100.46 para a última revisão de Leytor, de 01:01, novembro 9, 2015 (UTC)
(→‎Conceito: do seu pai)
m (Foram revertidas as edições de 189.101.100.46 para a última revisão de Leytor, de 01:01, novembro 9, 2015 (UTC))
[[File:Pierre Lévy.jpg|thumb|Pierre Lévy, precursor do termo cibercultura]]
As novidades que a tecnologia trouxe para a modernidade a partir das décadas de 60 e 70, tal qual a possibilidade de remixagem de textos, utilização de técnicas literárias como o ''[[cut-up]]'' (cópia-colagem), o advento da [[internet]] entre outros, geraram diversos debates sobre questões sociais. Nesse contexto, durante a década de 80 novos termos como '''cibercultura''', proposto por [[Pierre Lévy]] e [[ciberespaço]], de [[William Gibson]], surgiram.<br/> Para alguns teóricos, contudo, como André Lemos, professor da [[Universidade Federal da Bahia]], a concepção de cibercultura teria origens muito mais antigas, remetendo à década de 50 com a informática e cibernética, aos anos 70 com os microcomputadores e teria apenas se consolidado nos anos 80 e 90 com surgimento da informática de massa e popularização da internet, respectivamente.<ref>https://docs.google.com/document/d/199FpsyLAm-V6Uk_U_YZR517qGvitARGBiUwRz1GzNRA/edit?pli=1</ref><br/>
Durante a década de 80 em suas palestras, sob acusação de ser uma mídia fria, sem emoções e comunicação real, Pierre Lévy comparava essas falas ao preconceito sofrido pelo Blues[[Rock|Rock ‘n’ Roll]] nas décadas de 50 e 60. Contudo, para ele atualmente esse cenário já se encontraria diferente no imaginário das pessoas que hoje já tem acesso às tecnologias, diferentemente da época, acrescentando que preconceito é gerado pela ignorância.<ref> http://oglobo.globo.com/cultura/especialista-em-cibercultura-frances-pierre-levy-critica-intencao-inglesa-de-controlar-redes-sociais-fala-sobre-futuro-dos-livros-2690647</ref>
 
==Conceito==
[[Ficheiro:Cibercultura.jpg|400px|thumb||direita|Nuvem de palavras referente aos termos da Cibercultura]]
O conceito de cibercultura é trabalhado de forma diferente por cada autor. Existem quatro linhas de analise do conceito: 1. utópica, 2. informativa, 3. antropológica e 4. epistemológica:
# Quando trabalhado de forma '''utopélicautópica''', o conceito refere-se ao advento de novas mídias e como estas influenciam a sociedade, formando subculturas. Autores como Andy Hawk e [[Pierre Lévy]] trabalhavam com o conceito desta forma.
# Quando analisado sob o aspecto '''informativo''', refere-se a um conjunto de práticas culturais que permite novas formas de transmitir-se informação (sem qualquer relação com o [[cyberpunk]], neste caso). Autores como Margaret Morse e Lev Manovich trabalharam com esta visão.
# Quando posto sob um ponto de vista '''antropológico''', o conceito é estudado minuciosamente na história presente. Refere-se a um conjunto de práticas culturais e estilos de vida gerados pelas [[Tecnologias da informação e comunicação|TIC]]. Autores como Arturo Escobar e David Hakken trabalharam com o conceito de modo antropológico.
31 805

edições