Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 11h25min de 16 de abril de 2016
m
}}
 
O '''ducado de Brunsvique-Luneburgo''' (em [[língua alemã|alemão]] ''Herzogtum Braunschweig-Lüneburg'') foi criado em [[1235]] a partir dos territórios da [[Antiga Casa de Guelfo]] na [[Saxônia]] e foi um [[feudo]] de Otto I, cujo cognome é Otto, ''a Criança'' , um neto de [[Henrique, o Leão]]. O nome composto do [[ducado]] corresponde às duas maiores cidades do território, [[Brunsvique]] e [[Luneburgo]]. O ducado foi dividido várias vezes na Alta [[Idade Média]].
 
Todas as linhas [[Antiga Casa de Guelfo|Guelfo]] detiveram o título de Duque de Brunsvique e Luneburgo. Os principados existiram até o fim do [[Sacro Império Romano-Germânico]], em 1806. Após o [[Congresso de Viena]] tornou-se Estado sucessor do [[Reino de Hanôver]] e do [[Ducado de Brunsvique]].
 
==História==
 
Em 1180, [[Henrique, o Leão]], recebeu a "proibição imperial", fazendo com que ele perdesse seus títulos de Duque de Saxônia e Duque da Baviera. Ele, então, foi para o exílio por vários anos, mas foi autorizado a permanecer até o fim de sua vida nas propriedades [[Alódio|alodiais]], herdadas do lado materno.
 
[[Imagem:Wappen Deutsches Reich - Herzogtum Braunschweig (Kleines).png|thumb|esquerda|upright=0.9|Brasão de armas do Duque de Brunsvique-Luneburgo]]
Em 1235, como parte da reconciliação entre as Casas dos [[Hohenstaufen]] e [[Casa de Guelfo|Guelfos]], o neto de Henrique, Otto, ''ada Criança'', transferiu suas propriedades para o imperador [[Frederico II, Sacro Imperador Romano-Germânico|Frederico Barbarossa]] e foi e ''enfeoffed'' (ato pelo qual uma pessoa dava terras em troca de uma promessa de serviço no feudalismo) em troca do ducado recém-criado de Brunsvique-Luneburgo, que foi formado a partir da propriedades transferidas para o imperador, assim como outras grandes áreas do fisco imperial.
 
Após sua morte em 1252, ele foi sucedido por seus filhos, Alberto e João , que governaram o ducado em conjunto. Em 1269, o ducado foi dividido: Alberto recebeu a parte sul do Estado em torno dos territórios de Brunsvique e João a parte norte na área de Luneburgo. As cidades de [[Luneburgo]] e [[Brunsvique]] permaneceram na posse total da Casa de Guelfo até 1512 e 1671, respectivamente. Em 1571, o [[Amt]] de [[Calvörde]] se tornou um enclave do ducado.
 
As várias partes do ducado foram subdivididas e reunidas ao longo dos séculos, todas elas governadas pelos Guelfos, que mantinham estreitas relações com o outro, não raro, ao se casar com primos, uma prática muito mais comum do que é o caso hoje, mesmo entre os camponeses do Sacro Império Romano, com a [[lei sálica]] como forma de herança. Tal prática foi incentivada para manter o controle das terras e benefícios. Os assentos do poder mudaram, entretanto, a partir de Brunsvique e Luneburgo para [[Celle (Baixa Saxônia)|Celle]] e [[Volfembutel]] e as cidades afirmaram sua independência.
 
==História dos principados subordinados==
 
Divisão territorial do Eleitorado de Brunsvique-Luneburgo e as relações dinásticas dentro do Ducado de Brunsvique-Luneburgo e ao [[Reino da Grã-Bretanha]].
 
 
===Principado de Brunsvique-Volfembutel===
 
Em 1269, o Principado de Brunsvique foi formado após a primeira divisão do Ducado de Brunsvique-Luneburgo. Em 1432, como resultado da crescente tensão com os habitantes da cidade de Brunsvique , a linha Brunsvique mudou sua residência para [[Volfembutel]] em um castelo, enquanto a cidade se desenvolveu em um assento real. O nome Volfembutel foi dado a esse principado. Até 1753/1754 foi a residência oficial, porém voltou para Brunsvique, no recém-construído palácio Brunsvique. Em 1814, o principado tornou-se o Ducado de Brunsvique.
 
;Principado de Calenberga - Eleitorado depois de Brunsvique-Luneburgo
 
Em 1432, as propriedades adquiridas pelo Principado de Brunsvique-Volfembutel entre o [[Rio Deister|Deister]] e o [[Rio Leine|Leine]] se separaram como o Principado de Calenberga. Ao norte, este novo Estado limitado no [[Condado de Hoya]] perto de [[Niemburgo]] e ampliado a partir daí em uma estreita, sinuosa linha ao sul com o rio Leine através de [[Wunstorf]] e [[Hanôver]] onde atingiu o Principado de Volfembutel.
 
 
===Principado de Luneburgo===
 
O Principado de Luneburgo surgiu junto com o Principado de Brunsvique em 1269 quando a herança do ducado foi dividida. Após a morte do duque [[Jorge Guilherme de Brunsvique-Luneburgo]] em 1705, o rei [[Jorge I da Grã-Bretanha]], herdou o estado de Luneburgo com sua esposa, filha do duque, [[Sofia Doroteia de Brunsvique-Luneburgo|Sofia Doroteia]], mais tarde conhecida como a "Princesa do Ahlden". Foi unido com o Principado de Calenberga, que havia sido elevado a eleitorado em 1692.
 
===Principado de Gotinga===
 
O principado mais austral do Ducado de Brunsvique-Luneburgo se estendia desde [[Münden]] no sul até o [[rio Weser]] para Holzminden. No Oriente, percorreu Gotinga ao longo do rio Leine via [[Northeim]] para [[Einbeck]]. Ele surgiu em 1345 como resultado de uma divisão do Principado de Brunsvique e estava unido em 1495 com Calenberga.
 
===Principado de Grubenhagen===
 
A partir de 1291-1596 Grubenhagen foi um principado independente, seu primeiro governante foi [[Henrique, o Admirável]], filho do duque Alberto I de Brunsvique-Volfembutel. O Estado laico estendia-se entre a parte norte das colinas Solling e o rio Leine perto de [[Einbeck]] e no norte de [[Eichsfeld]] e no sudoeste do [[Harz]]. Depois de ser dividido ao longo dos anos em principados menores e menores que Grubenhagen, finalmente retornou em 1596 para Brunsvique-Volfembutel.
 
*O Principado de Luneburgo.
*O Principado de Calenberga - Gotinga, fundiu-se com [[Eric I de Brunsvique-Volfembutel]], em 1495.
*O Principado de Grubenhagen .
*O Principado de Brunsvique-Volfembutel.
 
==História da relação com a Coroa Britânica==
 
O primeiro rei hanoveriano da Inglaterra, [[Jorge I da Grã-Bretanha]] foi Duque de Brunsvique-Luneburgo, e finalmente foi feito [[Príncipe-eleitor]] do [[Sacro Império Romano-Germânico]] em 1708. Seus bens foram ampliadas em 1706, quando as terras hereditárias do ramo Calenberga dos Duques de Brunsvique-Luneburgo fundiram-se com as terras do ramo Luneburgo-Celle para formar o Estado de Hanôver. Posteriormente, Jorge I foi nomeado eleitor de Hanôver. Em 1700 e 1701, quando o parlamento inglês tinha abordado a questão de uma sucessão ordenada, com um viés religioso em direção a uma regra protestante, preteriu os filhos da rainha Ana (Casa de Stuart) e, com as disposições da Lei de Liquidação 1701, passou a [[Sofia de Hanôver]], neta de [[Jaime VI da Escócia e I de Inglaterra]]. A Grã-Bretanha e Hanôver permaneceram unidos em [[união pessoal]] até a ascensão ao trono inglês da rainha Vitória em 1837.
 
 
==[[Ducado de Brunsvique]]==
 
A linha de Volfembutel manteve a sua independência, com exceção de 1807-1813, quando ela e Hanôver foram incorporadas ao napoleônico [[Reino da Vestfália]]. O Congresso de Viena, de 1815, transformou-o em um Estado independente sob o nome de [[Ducado de Brunsvique]]. O ducado permaneceu independente e juntou-se à primeira [[Confederação da Alemanha do Norte]] e em 1871 o então [[Império Alemão]].