Abrir menu principal

Alterações

11 bytes removidos, 11h14min de 18 de abril de 2016
sem resumo de edição
{{Ver desambig|prefixo=Se procura|o [[diocese do Algarve|bispo de Silves]] e autor do '''Speculum Regum'''|Frei Álvaro Pais}}
'''Álvaro Pais''', em grafia antiga '''Álvaro Paes''' (c. 1330 - d. 1390) foi um [[oficial régio]] do século XIV português. Vassalo e chanceler-mor de D. Fernando I, foi o grande instigador do mestre[[Mestre de Avis]] em Lisboa.
 
==Filiação==
 
==Biografia==
Álvaro Pais, como refere [[Fernão Lopes]], era «homem honrado (isto é: nobre) de boa fazenda», a quem D. Fernando I, em paga dos seus bons serviços, dera «honra e acrecentamento». Não era portanto um plebeu ou burguês, como depois se disse, mas sim da pequena nobreza cidadã de Lisboa, ilustrada pelo serviço real, Cidadão Honrado de [[Lisboa]],<ref name="Autor, 1 1989, p. 149">"Mouzinho de Albuquerque", [[Fernando de Castro Pereira Mouzinho de Albuquerque e Cunha]], Edição do Autor, 1.ª Edição, Cascais, Volume III, 1989, p. 149</ref>
 
Álvaro Pais serviu e foi [[Chanceler-Mor]] ou [[Vedor]] da [[Chancelaria]] do Rei [[Fernando I de Portugal|D. Fernando I]].<ref>"Mouzinho de Albuquerque", [[Fernando de Castro Pereira Mouzinho de Albuquerque e Cunha]], Edição do Autor, 1.ª Edição, Cascais, Volume III, 1989, p. 147</ref> Dizem também que já era Chanceler Mor de [[Pedro I de Portugal|D. Pedro I]], mas não aparece na respectiva Chancelaria. Morou na torre que tinha o seu nome, junto à [[Muralha Fernandina]], no extremo ocidental da cidade de Lisboa.