Diferenças entre edições de "Academia de Polícia Militar do Barro Branco"

2 124 bytes adicionados ,  18h18min de 4 de maio de 2016
foram retirados textos possivelmente parciais, foram feitas correções gramaticais, foi incluída a seção de controvérsias e melhorada a seção sobre a história. Foram inseridas referências.
(Foram revertidas as edições de 201.55.56.116 por fazer testes nos artigos (usando Huggle) (3.1.20))
(foram retirados textos possivelmente parciais, foram feitas correções gramaticais, foi incluída a seção de controvérsias e melhorada a seção sobre a história. Foram inseridas referências.)
Sua missão oficial é ''"Promover com excelência as atividades de ensino aos integrantes da Polícia Militar que se preparam para o exercício do Oficialato, tendo por referência a ciência pedagógica, a técnica policial e as relações humanas." ''<ref name="missaooficial">{{citar web|url=http://www.policiamilitar.sp.gov.br/unidades/apmbb/index.asp?Tela=qualidade|acessodata=14/03/2015|titulo=Missão.|autor=APMBB|publicação=[[APMBB - ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR DO BARRO BRANCO]]}}</ref>
 
A '''APMBB''' trabalha com excelência na formação de profissionais de Segurança Pública, há mais de um século no mesmo endereço, sendo que já passaram, por seus bancos escolares, personalidades notáveis da sociedade brasileira, como o Dr. Moisés Sjamboc, professor da USP e criador da FUVEST[[Fundação Universitária para o Vestibular|Fuvest]], Desembargadoro desembargador Álvaro Lazarini, ex – Presidente-presidente do tribunalTribunal Regional Eleitoral, o sr. [[Luiz Antônio Fleury Filho|Luiz Antonio Fleury Filho]], ex-[[Lista de governadores de São Paulo|governador do Estado de São Paulo]] e atual [[Deputado federal|Deputado Federal]], além de inúmerosdiversos Desembargadores,secretários Juízes,de PromotoresEstado dee Justiçainúmeros outros desembargadores, Procuradoresjuízes, Delegadospromotores Federaisde e Estaduaisjustiça, Vereadoresprocuradores e Secretários Nacionais de Segurançavereadores.
 
== Origens ==
{|
|A história da APMBB, berço da formação dos Oficiais, remonta ao ano de 1910, com a implementação do Curso Literário e Científico trazido pela Missão Militar Francesa, que chegou em São Paulo em 28 de março de 1906, contratada pelo então Governador do Estado Jorge Tibiriçá, com o propósito de ministrar instrução à tropa da Força Pública.<ref>{{Citar web|url=http://www.polmil.sp.gov.br/unidades/apmbb/index.asp?Tela=historia|titulo=APMBB - ACADEMIA DE POL�CIA MILITAR DO BARRO BRANCO|acessodata=2016-05-04|obra=www.polmil.sp.gov.br}}</ref><br><br>
'''1913'''<br>
Foi criado o Corpo Escolar, compreendendo o Curso Geral para inferiores e Curso Complementar para Alferes e Tenentes.<ref name=":2">{{citar web|url=http://www.afam.com.br/documentos/afamemrevista/AFAMemRevista_72.pdf|titulo=História|data=Abr-Jun 2014|acessodata=2016-05-02|obra=AFAM em revista|publicado=AFAM|ultimo=Cabral|primeiro=Sandhra}}</ref><br>
<br>
'''1924'''<br>
O Corpo Escolar passa a denominar-se Centro de Instrução Militar (CIM), voltado para a formação de Oficiais e Praças, pois reunia todos os Cursos de Formação em sua localidade.<ref name=":2" /><br>
<br>
'''1940'''<br>
Teve início no Barro Branco, a construção do novo aquartelamento do CIM, sendo as obras concluídas em 1944.<ref name=":2" /><br>
<br>
'''1950'''<br>
O CIM transformou-se em Curso de Formação de Aperfeiçoamento, CFA, designação que conservou até 1969, quando, foi destinado exclusivamente a formar e especializar Oficiais.<ref name=":2" /><br>
<br>
'''1970'''<br>
Com a fusão entre Força Pública e Guarda Civil, após reestruturação de currículos, passa a denominar-se Academia de Polícia Militar. Mais recentemente, por força do Decreto nº 11.241, de 09 de março de 1978, esta Academia, por tradição, e por assim já ser conhecida, passou a denominar-se Academia de Polícia Militar do Barro Branco – APMBB – sendo consagrada uma instituição voltada à formação do Oficial em nível superior.<ref name=":2" /><br>
<br>
'''1985'''<br>
Com a criação do Centro de Aperfeiçoamento e Estudos Superiores, a Academia passa a destinar-se exclusivamente a formar Oficiais e a especializá-los em cursos e estágios específicos.<ref name=":2" />
 
'''1996'''
 
Foi firmado entre a Academia do Barro Branco e a Fundação Universitária para o Vestibular – FUVEST, contrato de parceria para a realização da prova de seleção para ingresso no Curso de Formação de Oficiais, passando a integrar um dos Cursos do Vestibular desta Instituição.<ref name=":2" />
 
'''2010'''
 
A realização das provas passou a ser de responsabilidade da Fundação VUNESP.<ref name=":2" />
|}
 
|}
 
== Controvérsias ==
<center>
Assim como em outras escolas militares, a APMBB já foi citada na mídia em denúncias de maus-tratos aos alunos, bem como já foi acusada de promover através de seus treinamento a violência policial, com pouco ou nenhum treinamento em [[Direitos humanos no Brasil|Direitos Humanos]]. Em todos os casos a Instituição de ensino superior negou as práticas e nenhuma denúncia chegou a ter comprovação judicial ou administrativa.<ref>{{Citar web|url=http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/formacao-da-pm-e-baseada-em-abusos-dizem-policiais/|titulo=Formação da PM é baseada em abusos, dizem policiais {{!}} EXAME.com|acessodata=2016-05-04|obra=Exame}}</ref><ref>{{Citar web|url=https://flitparalisante.wordpress.com/2016/04/28/revolta-no-barro-branco-desumanidade-e-assedio-moral-desencadeiam-depressao-e-suicidio-de-cadete-que-nem-sequer-pode-ser-velado-pelos-colegas-de-academia/|titulo=Revolta no Barro Branco – desumanidade e assédio moral desencadeiam depressão e suicídio de cadete; que nem sequer pode ser velado pelos colegas de academia|data=2016-04-28|acessodata=2016-05-04|obra=Jornal Flit Paralisante}}</ref><center><gallery>
<gallery>
|A tropa perfilada, aguarda a devolução dos espadins dos novos aspirantes (2006).
|Desfile de encerramento da formatura dos aspirantes 2006.
78

edições