Diferenças entre edições de "Miragaia (Porto)"

17 bytes removidos ,  11h02min de 26 de maio de 2016
 
=== Judeus e Arménios ===
Concomitantemente ao povoamento intra-muros da cidade do Porto, a zona ribeirinha da chamada "praia de Miragaia" e o vizinho morro da Vitória, também atraíram moradores, neles vindo a se fixar populações oriundas da região do Minho, assim como grupos imigrados de [[judaísmo|judeus]] e de [[Arménia|arménios]], estes últimos a trabalhar sobretudo como artífices e mercadores. Para o provar aqui continuam a Rua Arménia, e a Rua de Ansira (cidade arménia).
 
A fixação de uma comunidade de origem judaica levou a que o morro de Miragaia passasse a ser conhecido como "monte dos judeus". Tendo sido erguida uma [[sinagoga]] (posteriormente demolida para a construção do [[Convento da Madre de Deus de Monchique]]), e instalado um [[cemitério]], formou-se a judiaria de Monchique à semelhança do que aconteceu nas freguesias da Vitória e da Sé. Esta comunidade, que com sua actividade comercial grandemente contribuiu para o desenvolvimento da freguesia de Miragaia, ao final do [[século XIV]], foi transferida para a judiaria do Olival e, mais tarde ainda, já no [[século XV]], para a rua dos Mercadores, na Ribeira.<ref>Na ''História Seráfica'', Frei [[Fernando da Soledade]], registra que, em [[1410]], Gil Vaz da Cunha recebeu autorização para construir umas casas no pequeno monte em que tinham habitado os judeus, e onde existia uma sinagoga abandonada: era o antigo bairro dos judeus, em Monchique.</ref>
Utilizador anónimo