Diferenças entre edições de "Marcha Real"

161 bytes adicionados ,  12h19min de 28 de maio de 2016
m
sem resumo de edição
m
 
==História==
Bartolomé Pérez Casas em 1908 foi convidado pelo rei Afonso XIII a fazer uma harmonização da Marcha Real. O compositor registrou a obra como sua em 1931 .e, quando Emem 1942, os seus arranjos foram considerados a versão oficial do hino nacional espanhol, ele começou a receber os respetivos direitos de autor.
 
Cada vez que o hino nacional espanhol é reproduzido, seja numa cerimónia oficial com os reis, num estádio de futebol, na televisão ou como toque de telemóvel, 5% da verba referente aos direitos de exploração vai para seis elementos da família Andrés. Em 1997, o Estado pagou 130 milhões de pesetas (cerca de 780 mil euros) a esta família pela titularidade da Marcha Real, mas no acordo ficou estabelecido que até a obra entrar no domínio público continuam a receber 5%.<ref>{{citar web|URL=http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=4622695|título=Sempre que a Marcha Real de Espanha toca, a família Andrés fatura|autor=|data=|publicado=|acessodata=}}</ref>
 
{{quotation|Gloria, gloria, corona de la Patria,<br />
soberana luz<br />
bmvw2~h n-c
que es oro en tu Pendón.
 
Vida, vida, futuro de la Patria,<br />
que en tus ojos es<br />
abierto corazón.
 
Púrpura y oro: bandera inmortal;<br />
en tus colores, juntas, carne y alma están.