Diferenças entre edições de "Live and Let Die"

16 bytes removidos ,  22h11min de 4 de junho de 2016
m
pela primeira vez -> pleonasmo, typos fixed: as sua → as suas, serie → série, enfase → ênfase utilizando AWB
m (Removing Link GA template (handled by wikidata))
m (pela primeira vez -> pleonasmo, typos fixed: as sua → as suas, serie → série, enfase → ênfase utilizando AWB)
O agente descobre que Kananga está a produzir duas toneladas de [[heroína]], afastando a sua produção de [[papoila]]s da população com feitiçaria ''[[voodoo]]''. O plano de Kananga é distribuir as duas toneladas de drogas gratuitamente no mercado negro, que aumentaria assim o consumo derrubando os seus concorrentes para ter o monopólio do negócio.Após eles sairem de San Monique,eles fazem amor de novo no barco de Quarrel mas os homens de Kananga capturam Bond e Solitaire no aeroporto de [[Nova Orleães]]. Bond não reconhece o Sr. Big, pensado que Kananga seria outra pessoa. O gângster tira a máscara e pergunta ao agente se teve relações com Solitaire.
 
Kananga deixa 007 nas mãos de Tee Hee, um capanga do cabecilha. Tee Hee leva-o até uma quinta de crocodilos algures na [[Louisiana]]. Entretanto Kananga deixa Solitaire com o Barão Samedi para ser sacrificada. Bond é deixado em cima de um [[rochedo]] no meio de um lago cheio de crocodilos mas o agente escapa saltando em cima deles e põe fogo à quinta matando alguns homens de Kananga. Bond foge e entra numa perseguição de barcos com os homens de Kananga atrás dele atraindo um xerife local, J. W. Pepper, e a [[polícia]] estatal.
 
De regresso a San Monique, Bond salva Solitaire de um ritual voodoo, e atira o Barão Samedi num caixão cheio de cobras. Os dois entram numa sepultura disfarçada de entrada para a casa de Kananga. Este faz uma série de golpes no braço de Bond, ata o agente a Solitaire e iça os dois em cima de um tanque de tubarões. Com o [[relógio]] a passar-se por uma mini-[[serra elétrica]] circular, Bond consegue escapar-se e põe um [[projétil balístico|frasco]] cheio de [[gás]] na boca de Kananga, arrebentando o ditador. Com o trabalho feito, Solitaire e Bond saem do estado num comboio.
 
== Produção ==
1972. Os anos 70 marcados pelos [[hippie]]s e por um série de conflitos mudam o mundo e James Bond tem que se adaptar à nova realidade. Os anos 60 terminam e [[Sean Connery]] deixa o papel. A interpretação do ator [[Escócia|escocês]] leva muitos críticos a afirmar que com o fim de Connery também a seriesérie 007 estaria terminada. Mas com ''Live and Let Die'' provou-se o contrário.
 
Os produtores precisam de um argumento novo para os anos 70. Tom Mankievicz, o argumentista, escolhe o livro de Ian Fleming ''[[Live and Let Die (livro)|Live and Let Die]]'', porque achou ousado usar vilões negros em um período no qual grupos como os [[Panteras Negras]] surgiam. Guy Hamilton procura novas localidades para as filmagens e é-lhe sugerido [[Nova Orleães|Nova Orleans]] nos [[Estados Unidos]] aproveitando os típicos funerais de jazz para criar a sequência inicial e os vários canais de água espalhados nos arredores da cidade.
 
Durante a procura de locais na [[Jamaica]], os produtores e as suasuas equipaequipas encontram uma placa de aviso com o texto ''Invasores serão devorados''. Ao entrar no lugar descobrem uma fazenda de crocodilos, de propriedade de Ross Kananga. Foi a partir daí que surgiu a ideia da cena dos crocodilos em que Mankievicz inspirou-se no nome do proprietário para caracterizar o vilão.
 
A procura do novo Bond começa e o favoritismo estava para [[Burt Reynolds]]. Mankievicz tenta convencer Sean Connery a regressar ao papel afirmando as cenas de acção que o filme iria conter mas o actor rejeita. A amizade entre os produtores e [[Roger Moore]] faz com que o actor inglês seja escolhido para interpretar 007. Moore traz uma nova personalidade a James Bond diferenciando-se assim de Sean Connery. Este último tinha a personalidade machista bem expressa enquanto que Moore traz um Bond mais sensível sem imitar diretamente Sean Connery. Sendo Moore um actor mais virado para a comédia, Mankievicz decidiu trazer várias cenas cómicas para este filme.
 
== Música ==
[[John Barry]] não estava disponível para a compor a trilha sonora dando lugar a [[George Martin]]. Martin conseguiu arranjar [[Paul McCartney]] para compor o tema, "[[Live and Let Die (single)|Live and Let Die]]" que se tornou um dos grandes sucessos de Paul e os [[Wings (banda)|Wings]]. A canção fora regravada pelos grupos [[Guns N' Roses]] e [[The Pretenders]] e ganhou uma indicação ao [[Oscar]].
 
O grupo de jazz de Nova Orleans [[w:Olympia Brass Band|Olympia Brass Band]] aparece na cena do funeral, com o trompetista da banda, Alvin Alcorn, interpretando um assassino.
 
== Recepção ==
A 5 de Julho de 1973, ''Live and Let Die'' estreia em Londres e obtém mais um recorde na bilheteria, faturando 36 milhões de dólares nos EUA e 161 milhões no resto do mundo.Muitos criticaram a enfaseênfase exagerada na comédia.No final,os produtores conseguiram fazer a maior proeza de todas: deram ao mundo um novo 007.<ref>{{ cite web | url=http://www.the-numbers.com/movies/1973/0LALD.php | title=Live and Let Die | |work=The Numbers| publisher=Nash Information Service| accessdate=2008-03-14}}</ref>
 
== Estreia em TV ==
A estreia em TV em Portugal foi histórica, pois foi pela primeira vez que a RTP transmitiu um filme do James Bond. Numa quarta-feira, dia 2 de Fevereiro de 1994, o [[RTP1|Canal 1 da RTP]] estreia pela primeira vez na televisão este filme, às 22 horas e 35 minutos, na sessão "Lotação Esgotada", com audiências muito bem receptivas, que conseguiram superar a SIC.
== Local das filmagens ==
*{{UK}} - Estúdios da Pinewood, em Londres
81 994

edições