Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho ,  14h47min de 12 de junho de 2016
O nome do meio do pai de Andreas deve ser PHILIPP e nçao PHILLIP, como estava escrito.Temos dificuldade em porttuguês com letras duplas desde que abolimos as nossas.
'''Andreas Bernd Baader''' ([[Munique]], [[6 de Maio]] de [[1943]] - [[Estugarda]], [[18 de Outubro]] de [[1977]]) foi um dos fundadores e líderes do grupo [[guerrilheiro]] de [[esquerda]] alemão [[Fração do Exército Vermelho]], denominado pelo governo e pela imprensa de '''Baader-Meinhof'''. O grupo foi responsável por uma série de ações armadas - assaltos a bancos, seqüestros e mortes - na Alemanha, na [[década de 1970]].
 
Seu pai era o historiador Berndt PhillipPhilipp Baader, que, em [[1945]], durante a [[Segunda Guerra Mundial]], servia o exército alemão quando foi feito prisioneiro pelas forças russas, e posteriormente dado como desaparecido. Sua mãe, Anneliese Baader não voltou a se casar. Andreas foi criado com carinho pela mãe, juntamente com a avó e uma tia. Na opinião dos seus professores, era uma criança inteligente, mas também voluntariosa, um tanto imprevisível, e não se empenhava nos estudos quando a matéria não o atraía. Ao mesmo tempo que era generoso, capaz de tirar seu próprio agasalho e dá-lo a alguém que estivesse com frio, também era capaz de furtar, se estivesse precisando de dinheiro. Também se envolvia frequentemente em brigas, nem sempre em defesa dos próprios interesses.<ref>AUST, Stefan [http://books.google.com/books?id=Jqqh0mEvcD4C&pg=PA9&lpg=PA9&dq=%22Berndt+Phillipp+Baader%22&source=bl&ots=VXgGlPyF_X&sig=BmGNCbbz_ANummml4H78ue5W7MY&hl=pt-BR&ei=7vsgTfm8BoK88gbfpOmGDg&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=8&ved=0CEAQ6AEwBw#v=onepage&q=%22Berndt%20Phillipp%20Baader%22&f=true ''Baader-Meinhof, the inside story of the R.A.F.'']. Londres: The Bodley Head. The Random House, 2008.</ref>
 
Na adolescência considerado como um jovem desajustado, na conservadora sociedade alemã de após guerra; no final dos [[década de 1960|anos sessenta]] Baader gravitou para o movimento estudantil de [[esquerda]] e para os protestos contra o [[capitalismo]], a [[pobreza]] no [[Terceiro Mundo]], o [[energia nuclear|nuclear]] a ocupação estadunidense do país, que agitavam a Alemanha Ocidental na altura, embora ele próprio não fosse estudante universitário.
Utilizador anónimo