Diferenças entre edições de "Táxon extante"

816 bytes adicionados ,  17h27min de 17 de junho de 2016
sem resumo de edição
({{revisão-sobre|ciência}})
[[Ficheiro:American Alligator.JPG|miniaturadaimagem|Existiram oito espécies diferentes de jacarés do gênero [[Alligator (género)|''Alligator'']]. Dessas oito, seis estão hoje '''extintas''', e apenas duas continuam '''existentes''' ou '''não extintas''': o [[jacaré-da-china]] e o [[Aligátor americano|jacaré-norte-americano]].]]
{{revisão-sobre|ciência}}
'''Táxon existente''' ou '''não extinto''', em [[Língua portuguesa|português]], refere-se a um [[táxon]] (isto é, uma espécie biológica, ou um gênero biológico, ou uma família biológica, etc.) que ainda existe vivo atualmente.
{{sem-fontes|data=abril de 2010}}
'''Extante''', em biologia, refere-se a um ''[[taxon]]'', tal como uma espécie, género ou família, que ainda existe vivo actualmente. O termo ''extante'' contrasta com o termo ''[[extinção|extinto]]''.
 
Usa-se, em português, os adjetivos existente ou não extinto em contraposição ao termo extinto.
Por exemplo, o [[dodó]] é uma espécie extinta, enquanto o [[tubarão-baleia]] é uma espécie extante.
 
Em inglês, usa-se o termo extant para se referir a uma espécie não extinta, ou a qualquer outro táxon não extinto. Em inglês, extant é o oposto de extinct. Em português, tal como nas demais língua neolatinas, usa-se o adjetivo existente (em espanhol, ''taxón existente''; em francês, ''taxon actuel'', etc.).
{{esboço-biologia}}
 
Todos os animais que ainda hoje existem são exemplos de '''animais existentes''' ou '''não extintos'''. Por exemplo, o pássaro [[dodô]] é uma espécie extinta, enquanto o tubarão é uma espécie existente.
 
{{DEFAULTSORT:Taxon Extante}}