Diferenças entre edições de "Montes Claros"

2 bytes adicionados ,  19h41min de 28 de junho de 2016
m
Pequenos acertos
(→‎Religião: Corrigiu erro ortográfico)
Etiqueta: Edição via aplic. móvel
m (Pequenos acertos)
124 anos após obtenção da Sesmaria, por Antônio Gonçalves Figueira, o arraial já estava suficientemente desenvolvido para tornar-se independente, desmembrando-se de Serro Frio (atual [[Serro]]). Pelo esforço dos líderes políticos o Arraial foi elevado à categoria de Vila pela Lei de [[13 de outubro]] de [[1831]], recebendo o nome de "Vila de Montes Claros de Formigas". Em [[1857]], a então Vila Montes Claros de Formigas possuía pouco mais de 2 mil habitantes, mas os políticos já pleiteavam a elevação à município, pois os melhoramentos existentes eram os mesmos de quase todos os municípios da Província. Assim, pela Lei 802 de [[3 de julho]] daquele ano, a Vila passou à cidade - com o nome de Montes Claros.<ref name="Prefeitura_História"/>
 
Pela lei provincial nº 1398, de [[27 de novembro]] de [[1867]] e lei estadual nº 2, de [[14 de setembro]] de [[1891]], foi criado o [[distrito]] de Brejos das Almas (ex-povoado de São Gonçalo do Brejo das Almas), primeiro distrito do município. Com o passar do tempo, o território monteclarensemontes-clarense sofreu diversas perdas territoriais e reformulações administrativas, até que na [[década de 1980|década de 80]] passou a compor-se dos atuais distritos: [[Aparecida do Mundo Novo]], [[Ermidinha]], [[Miralta]], [[Nova Esperança (distrito de Montes Claros)|Nova Esperança]], [[Panorâmica (distrito de Montes Claros)|Panorâmica]], [[Santa Rosa de Lima (distrito de Montes Claros)|Santa Rosa de Lima]], [[São João da Vereda]], [[São Pedro de Garça]] e [[Vila Nova de Minas]].<ref name="IBGE_Histórico">{{citar web|url=http://www.webcitation.org/query?url=http%3A%2F%2Fbiblioteca.ibge.gov.br%2Fvisualizacao%2Fdtbs%2Fminasgerais%2Fmontesclaros.pdf+&date=2011-05-11 |título=Histórico |autor=[[Enciclopédia dos Municípios Brasileiros]] |data=1957 |publicado=Biblioteca IBGE |acessodata=11 de maio de 2011}}</ref>
 
=== Após a fundação ===
[[Ficheiro:Final de tarde em Montes Claros MG.jpg|thumb|esquerda|Entardecer na cidade.]]
 
O [[clima]] montemontes-clarense é caracterizado [[Clima tropical|tropical]] (tipo Aw segundo [[Classificação climática de Köppen-Geiger|Köppen]]),<ref name="vetmedunivienna">{{citar web |url=http://www.webcitation.org/query?url=http%3A%2F%2Fkoeppen-geiger.vu-wien.ac.at%2Fpics%2Fkottek_et_al_2006.gif&date=2011-04-24 |titulo=World Map of the Köppen-Geiger climate classification |autor=World Map of the Köppen-Geiger climate classification |publicado=Institute for Veterinary Public Health |acessodata=14 de maio de 2011}}</ref> com diminuição de [[chuva]]s no [[inverno]] e temperatura média anual de {{fmtn|22.4|°C}}, tendo invernos secos e amenos e [[Verão|verões]] chuvosos com [[temperatura]]s altas. O mês mais quente, fevereiro, conta com temperatura média de {{fmtn|23.8|°C}}, sendo a média máxima de {{fmtn|30.4|ºC}} e a mínima de {{fmtn|19|ºC}}. E o mês mais frio, julho, de {{fmtn|19.6|°C}}, sendo {{fmtn|27.4|ºC}} e {{fmtn|12.5|°C}} as médias máxima e mínima, respectivamente. [[Outono]] e [[primavera]] são estações de transição.<ref name="TempMédiaINMET" /><ref name="TempMáxINMET" /><ref name="TempMínINMET" />
 
A [[Precipitação (meteorologia)|precipitação]] média é de {{fmtn|1086.4}} milímetros (mm) anuais, sendo julho o mês mais seco, quando ocorrem apenas {{fmtn|0.5|mm}}. Em dezembro, o mês mais chuvoso, a média fica em {{fmtn|230.9|mm}}.<ref name="PrecipINMET" /> Durante a época das secas e em longos [[veranico]]s em pleno período chuvoso também são comuns registros de [[queimada]]s em morros e matagais, principalmente na zona rural da cidade, o que contribui com o [[desmatamento]] e com o lançamento de poluentes na [[atmosfera]], prejudicando ainda a qualidade do [[ar]].<ref>{{citar web|url=http://www.webcitation.org/query?url=http%3A%2F%2Fwww.gazetanortemineira.com.br%2Fnoticias.php%3Fid%3D3703+&date=2011-05-14 |titulo=Queimadas preocupam no Norte de Minas |autor=Paula Machado |data=17 de setembro de 2009 |publicado=Jornal Gazeta Norte Mineira |acessodata=14 de maio de 2011}}</ref> A [[umidade relativa]] do ar é de {{fmtn|67|%}},<ref name="UmidadeINMET"/> podendo, em alguns dias do ano, principalmente no inverno, cair para valores abaixo de {{fmtn|30|%}},<ref>{{citar web|URL=http://jornalmontesclaros.com.br/2014/07/09/norte-de-minas-subiu-para-129-o-numero-de-municipios-mineiros-em-situacao-de-emergencia-por-causa-da-seca.html|título=Norte de Minas - Subiu para 129 o número de municípios mineiros em situação de emergência por causa da seca|data=9 de julho de 2014|publicado=Jornal Montes Claros|acessodata=20 de agosto de 2014|arquivourl=http://archive.is/4o4Xk |arquivodata=20 de agosto de 2014}}</ref> ou ainda de {{fmtn|20|%}},<ref>{{citar web|URL=http://montesclaros.com/noticias.asp?codigo=45023|título=OMS pede “alertas” para umidade do ar abaixo de 20%; e ela já chegou a 13% em Montes Claros|data=1 de agosto de 2009|acessodata=20 de agosto de 2014|arquivourl=http://archive.is/7oAbM |arquivodata=20 de agosto de 2014}}</ref> sendo que o recomendável pela [[Organização Mundial da Saúde]] (OMS) é de no mínimo 30%.<ref>{{citar web|url=http://www.climatempo.com.br/destaques/2011/07/13/tempo-de-seca-no-brasil-atencao-com-a-baixa-umidade-do-ar/ |título=Tempo de seca no Brasil: atenção com a baixa umidade do ar |autor=Climatempo |data=13 de julho de 2011 |acessodata=15 de agosto de 2011}}</ref>
 
=== Pobreza e desigualdade ===
Como citado anteriormente, em Montes Claros, assim como em grande parte do país, o crescimento desordenado da população, causado pelo intenso fluxo migratório sofrido na [[década de 1970|década de 70]], aliado à falta de planejamento, resultou numa diferenciação espacial intra-urbanaintraurbana, com várias áreas demarcadas por focos de pobreza.<ref name="Observatório_Crescimento"/> Até por volta de 1970, a ocupação urbana se restringia à região central da cidade e bairros adjacentes. A partir dessa data, a área urbana passou a sofrer alterações significativas, sendo que as zonas norte, leste e sul tiveram uma expansão populacional mais intensa do que a zona oeste, que é ocupada por uma população de maior renda. O processo de ocupação não ocorreu de forma homogênea, existindo, ainda hoje, muitas áreas caracterizadas como vazios urbanos, em contraste com bairros subdesenvolvidos e [[favela]]s.<ref name="Observatório_Crescimento"/>
 
Na área urbana, a distribuição espacial da população está diretamente relacionada à condição social dos moradores, gerando [[desigualdade econômica]] na cidade. Bairros localizados próximos ao centro possuem população com maior [[poder aquisitivo]], enquanto que a periferia é onde estão localizados os mais subdesenvolvidos.<ref name="Observatório_Crescimento"/> De acordo com o IBGE, em 2002, o Índice de Condições de Vida (ICV) era maior nos bairros Cidade Santa Maria (0,81), Todos os Santos (0,68) e São Luís (0,73), ambos situados na região central. E era menor no Vila Mauricéia (0,31), Vera Cruz (0,37) e Vila Atlântida (0,27), todos localizados em áreas afastadas do centro.<ref name="Observatório_Crescimento"/>
1 691

edições