Abrir menu principal

Alterações

273 bytes adicionados ,  07h16min de 29 de junho de 2016
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 2001:8a0:ecf1:6e01:6026:774c:7abc:d3c6, com Reversão e avisos.
Para além do seu trabalho com Parker, Dizzy Gillespie conduziu pequenos agrupamentos e ''[[big band]]s'' e aparecia frequentemente como solista com a ''Norman Granz's Jazz at the Philharmonic''. No início da sua carreira tocou com [[Cab Calloway]], que o despediu por tocar “música chinesa”, a lendária ''[[big band]]'' de ''Billy Eckstine'' deu a estas [[Harmonia (música)|harmonias]] atípicas uma melhor cobertura.
 
Nos anos [[1940]], Gillespie liderou o movimento da música afro-cubana, trazendo elementos [[Música da América latina|latinos]] e [[Música da África|africanos]] para o jazz, e até para a [[música pop]], em particular a [[salsa]]. Das suas numerosas composições destacam-se os clássicos do jazz "Manteca", "A Night in Tunisia", "Birk's Works", e "Con Alma".
Nos anos [[1940]],
 
Dizzy Gillespie publicou a sua autobiografia em [[1979]], ''To Be or not to Bop'' (ISBN 0306802368), e seria vítima de um cancro no início de 1993, sendo sepultado no ''Flushing Cemetery'' em [[Queens]], [[Nova Iorque]].<ref>{{Findagrave|3998}}</ref>
[[Categoria:Mortes por câncer de pâncreas]]
[[Categoria:Prémio de Música Polar]]
lanwfaow fihoifaoubaowfbob wfuoabofiuboiawfb oaeoiwbf uwbfduiawf iubawfiu