Abrir menu principal

Alterações

1 210 bytes removidos, 22h06min de 4 de julho de 2016
Na noite de 16 de Julho de 1918, toda a família foi executada na cave da Casa Ipatiev, no entanto o que verdadeiramente terá acontecido a Maria e à sua irmã Anastásia permaneceu um dos maiores mistérios do {{séc|XX}} que só muito recentemente foi desvendado.
 
Segundo o relato de um dos assassinos, Maria terá conseguido fugir e chegou até um armazém onde bateu à porta, desesperada, pedindo ajuda. Mais tarde terá sido atingida por um tiro do Comissário Peter Emakov, que também a terá tentado esfaquear com a baioneta da arma e depois lhe deu um tiro na cabeça. Também se diz que ela poderá ter desmaiado e que conseguiu permanecer viva até que os corpos foram inspeccionados para que se tivesse a certeza de que toda a família estava morta. Maria terá gritado, o que fez com que fosse esfaqueada novamente. Quando a nova tentativa também falhou, diz-se que Emakov a terá agredido até ela se calar.<ref>King and Wilson (2003), p. 470</ref> Até hoje, mesmo tendo-se encontrado todos os corpos, a sua causa de morte continua a ser desconhecida.
== Rumores de sobrevivência e descoberta dos corpos ==
{{Info/Santo
|nome = Santa Maria Nikolaevna Romanova
|data_nascimento = {{dni|14|6|1899|si}}
|local_nascimento = [[São Petersburgo]], [[Império Russo]]
|data_morte = {{morte|17|7|1918|26|6|1899}}
|local_morte = [[Ecaterinemburgo]], [[URSS]]
|dia_consagrado = 17 de julho, juntamente com os demais membros assassinados dos [[Romanov]]<ref>{{citar web|url=http://www.struggler.org/GlorificationOfTheRoyalFamily.html|título =The Matter Has Been Resolved|autor = Maxim Shevchenko | publicado = Nezavisemaya Gazeta|data=31 de maio de 2000|língua=inglês|acessodata=30/06/2012}}</ref>
|venerado_em = [[Igreja Ortodoxa]]
|imagem = Mariainkimono1915.jpg
|tamanho = 150px
|legenda = Santa Maria em 1915
|títulos = [[Neomártir]]
|data_beatificação = 2000
|local_beatificação =
|beatificado_por =
|data_canonização =
|local_canonização =
|canonizado_por =
|atribuições =
|principal_templo =[[Igreja do Sangue]], em Ecaterinemburgo
}}
Segundo o relato de um dos assassinos, Maria terá conseguido fugir e chegou até um armazém onde bateu à porta, desesperada, pedindo ajuda. Mais tarde terá sido atingida por um tiro do Comissário Peter Emakov, que também a terá tentado esfaquear com a baioneta da arma e depois lhe deu um tiro na cabeça. Também se diz que ela poderá ter desmaiado e que conseguiu permanecer viva até que os corpos foram inspeccionados para que se tivesse a certeza de que toda a família estava morta. Maria terá gritado, o que fez com que fosse esfaqueada novamente. Quando a nova tentativa também falhou, diz-se que Emakov a terá agredido até ela se calar.<ref>King and Wilson (2003), p. 470</ref> Até hoje, mesmo tendo-se encontrado todos os corpos, a sua causa de morte continua a ser desconhecida.
 
Depois do assassinato de Maria, o seu primo directo, [[Louis Mountbatten, 1.º Conde Mountbatten de Burma|Louis de Montbatten]], filho da [[Vitória de Mountbatten|irmã mais velha de Alexandra]], que se tinha apaixonado pela prima quando era mais novo, guardou sempre uma fotografia dela debaixo da almofada para preservar a sua memória. Ele próprio também acabaria por ser assassinado em 1979 por membros do Exercito Republicano Irlandês.<ref>King and Wilson (2003), p. 49</ref>