Diferenças entre edições de "Xalimego"

2 bytes adicionados ,  22h05min de 5 de julho de 2016
Xálima
(recentemente)
(Xálima)
As primeiras referências filológicas conhecidas sobre a fala foram realizadas por [[Fritz Krüger]], em 1925, e por [[Otto Fink]], em 1929, ao estudarem o castelhano dialectal da zona. [[José Leite de Vasconcelos]] realizou uma outra investigação entre 1929 e 1933, ainda mostrando fenómenos que nunca voltaram a registar-se nos estudos seguintes, que a aproximava do Português, sendo então a opinião de se tratar de um dialecto do Português unânime.
 
O primeiro investigador a referir-se a esta fala como de origem galega, comparando-a com os forais de [[Castelo-Rodrigo]] ([[1209]]) e relacionando-a com a possível chegada de povoadores galegos à zona nos séculos [[século XII|XII]] e [[século XIII|XIII]] foi [[Lindley Cintra]], em 1959: "O falar fundamentalmente galego, mas com leonesismos,<ref>SALGADO, José Antonio González. ''La fonética de las hablas extremeñas''. Diputación de Badajoz, 2003.</ref> de Castelo Rodrigo e Riba-Coa no séc. XIII, o falar também essencialmente galego da região de XalmaXálima, outra coisa não são, segundo creio, do que falares destes núcleos de repovoadores galegos tão frequentemente recordados pela toponímia".
 
[[Clarinda de Azevedo]] também se refere a esta repovoação, afirmando a sua relação com um galaico-português arcaico e portanto maior proximidade com o Galego actual. [[José Luis Martín Galindo]] crê que as falas são anteriores a uma possível repovoação galega, mas esta tese não conquistou muitos partidários.
Utilizador anónimo