Abrir menu principal

Alterações

368 bytes adicionados, 23h16min de 23 de julho de 2016
m
Marcado que carece de mais notas, usando FastButtons
{{Mais notas|data=julho de 2016}}
{{Morte recente|20160722}}
 
{{Ver desambig|prefixo=Se procura|outros membros da família|Evaristo de Moraes (desambiguação)}}
 
{{Info/Biografia
|nome =Evaristo de Moraes Filho
|legenda =
|nome_completo =Evaristo de Moraes Filho
|data_nascimento ={{nowrap|{{dni|lang=br|5|7|1914|si}}}}
|local_nascimento=[[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], [[Imagem:Rio de Janeiro1908.gif|20px]] [[Distrito Federal do Brasil (1891-1960)|Distrito Federal]] <!-- NÃO ALTERAR: entre 24/02/1891 e 21/04/1960, o Rio de Janeiro era a capital federal e se situava no Distrito Federal. Brasília sedia o DF desde 21/04/1960 -->
|data_morte ={{nowrap|{{morte|22|7|2016|5|7|1914}}}}
 
==Biografia==
Evaristo de Moraes Filho nasceu na Rua dos Coqueiros, no bairro de [[Catumbi (bairro)|Catumbi]], filho do casal Antônio Evaristo de Moraes e Flávia Dias de Moraes. Concluiu sua educação básica em [[1921]], na Escola Pública Nilo Peçanha, no bairro de [[São Cristóvão (bairro do Rio de Janeiro)|São Cristóvão]], ingressando logo depois no Colégio 28 de Setembro, dirigido pelo general [[Liberato Bittencourt]], onde atingiu o posto de capitão-aluno. Em [[1933]] ingressou na Faculdade de Direito da [[Universidade do Rio de Janeiro|Universidade Federal do Rio de Janeiro]], onde foi colega de [[Alzira Vargas]] (filha de [[Getúlio Vargas]]), [[Arnaldo Lopes Sussekind]] (futuro ministro da Agricultura) e de [[Benjamin Eurico Cruz]] (futuro ministro do Trabalho). Tornou-se bacharel em [[Direito]] em [[3 de dezembro]] de [[1937]], mesmo ano em que fez o curso de extensão em [[Psicologia]] com o Professor [[Euryalo Canabrava]]. Em [[1939]] ingressou na recém-criada Faculdade Nacional de Filosofia.
 
Casado por sete décadas com Hileda Flores de Moraes, tiveram dois filhos, que lhe deram quatro netos e dois bisnetos.
 
Quinto ocupante da Cadeira de número 40 da Academia Brasileira de Letras, foi eleito em [[15 de março]] de [[1984]], na sucessão de [[Alceu Amoroso Lima]] e recebido em [[4 de outubro]] daquele ano pelo Acadêmico [[Josué Montello]].
 
Morreu aos 102 anos de idade, de causas naturais, em sua residência. Conforme a tradição dos membros da Academia Brasileira de Letras, seu corpo foi velado no Salão dos Poetas Românticos, tendo sido sepultado na tarde seguinte no Mausoléu dos Imortais, no [[Cemitério de São João Batista (Rio de Janeiro)| Cemitério de São João Batista]]. <ref>{{citar web|URL=http://oglobo.globo.com/rio/morre-jurista-evaristo-de-moraes-filho-19771776|título=Morre jurista Evaristo de Moraes Filho|autor=|data=22/07/2016|publicado=O Globo|acessodata=23/07/2016|arquivourl=https://web.archive.org/web/20160723230850/http://oglobo.globo.com/rio/morre-jurista-evaristo-de-moraes-filho-19771776|arquivodata=23/07/2016}}</ref>
 
==Cargos, formações e títulos==
*Doutor em Direito (1953).
*Doutor em Ciências Sociais (1955).
*Professor Emérito da UFRJ, na qual fundou, o [[Instituto de Filosofia e Ciências Sociais]]. Teve seu magistério cassado pelo [[Ato Institucional Nº 5]], após ter sido preso em seu apartamento em [[Copacabana]], aos [[13 de junho]] de [[1969]] em cárcere de unidade militar do Primeiro Exército Brasileiro.
*Procurador do Trabalho de Primeira Categoria no [[Ministério Público do Trabalho]], tendo sua primeira lotação, em [[Salvador (Bahia)|Salvador]], sendo um dos que formaram este ramo do [[Ministério Público]] no Brasil.
*A Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho, com sede em [[Brasília]], instituiu em [[1998]] o [[Prêmio Evaristo de Moraes Filho]], destinado ao melhor arrazoado forense no âmbito do Ministério Público do Trabalho, em função dos relevantes trabalhos prestados pelo jurista.
 
{{referências}}
 
==Ligações externas==
*{{Link|pt|2=http://www.academia.org.br/ablacademicos/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=360evaristo-de-moraes-filho|3=Perfil no sítio oficial da Academia Brasileira de Letras}}
 
 
{{Academia Brasileira de Letras}}
{{Portal3|Academia Brasileira de Letras}}
 
{{Esboço-biografia}}
 
63 511

edições