Diferenças entre edições de "Trabalho forçado"

276 bytes adicionados ,  14h43min de 12 de agosto de 2016
Adicionei ligação para o Commons.
(Adicionei ligação para o Commons.)
[[Ficheiro:Belomorkanal.png|thumb|250px|Prisioneiros trabalham na construção do [[Belomorkanal]] ([[1931]]-[[1933]]).]]
'''Trabalho forçado''' ou '''trabalho compulsório''', segundo a [[Organização Internacional do Trabalho]] (OIT), é o [[trabalho]] ou serviço imposto a uma pessoa sob SMS ou penalidade - o que inclui [[Sanção penal|sanções penais]] e perda de [[Direito subjetivo|direitos]] ou privilégios.<ref>Convenção n° 29, sobre o Trabalho Forçado (1930). Ver ''[[ILO]]. [http://www.ilo.org/sapfl/Informationresources/ILOPublications/WCMS_081991/lang--en/index.htm Forced Labour: Definition, Indicators and Measurement''].</ref>
== Descrição ==
Em [[2005]], a [[OIT]] estimava que, em todo o mundo, existissem, no mínimo, 12,3 milhões de pessoas submetidas a trabalho forçado ilícito (nos termos das Convenções 29 <ref>[http://www.ilo.org/dyn/normlex/en/f?p=NORMLEXPUB:55:0:::55:P55_TYPE,P55_LANG,P55_DOCUMENT,P55_NODE:CON,en,C029,/Document ''C029 - Forced Labour Convention, 1930 (No. 29)'']</ref> e 105).<ref>[http://www.ilo.org/dyn/normlex/en/f?p=1000:55:0::NO::P55_TYPE,P55_LANG,P55_DOCUMENT,P55_NODE:CON,en,C105,%2FDocument ''C105 - Abolition of Forced Labour Convention, 1957 (No. 105)'']</ref>)<ref name=Minimum>[http://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---ed_norm/---declaration/documents/publication/wcms_081913.pdf ILO Minimum Estimate of Forced Labour in the World]. Por Patrick Belser, Michaëlle de Cock e Farhad Mehran. International Labour Office, Geneva, April 2005.</ref> )Em termos globais, as [[Empresa privada|empresas privadas]] auferiram lucros[[lucro]]s de, pelo menos,[[USD]] 44,3 bilhões de [[Dólar dos Estados Unidos|dólares estadunidenses]] ao ano, graças à exploração do trabalho forçado. Desse total, USD 31.,6 bilhões de [[Dólar dos Estados Unidos|dólares estadunidenses]] também estariam ligados ao [[tráfico de pessoas]]. Os maiores lucros advindos do trabalho forçado e aodo tráfico de trabalhadores - mais de USD 15 bilhões de dólares estadunidenses - são registrados nos [[países industrializados]]. ANo entanto, a OIT reconhece que essas cifras podem ser, na realidade, muito maiores.
 
Ainda segundo a OIT, mais de 2,45 milhões de trabalhadores forçados são vítimas do [[tráfico de pessoas]]ː ou seja, o tráfico alimenta 20% do trabalho forçado no mundo. A maior parte das pessoas traficadas destina-se à exploração do [[prostituição|comércio sexual]] (43%); 32% à exploração econômica (incluindo [[escravidão]], [[servidão]], [[escravidão por dívida]] e [[empregado doméstico|trabalho doméstico]] forçado e outros) e 25% a múltiplos tipos de exploração. A maior parte dessas pessoas se destina à região da [[Ásia-Pacífico]] (1,36 milhões). 12,3 milhões de pessoas estão submetidas a trabalho forçado, sendo que 9,8 milhões (80%) são exploradas por agentes privados e 2.5 (20%) milhões pelo Estado ou por milícias rebeldes<ref name=Minimum />.
Em [[2005]], a [[OIT]] estimava que, em todo o mundo, existissem, no mínimo, 12,3 milhões de pessoas submetidas a trabalho forçado ilícito (nos termos das Convenções n°29 <ref>[http://www.ilo.org/dyn/normlex/en/f?p=NORMLEXPUB:55:0:::55:P55_TYPE,P55_LANG,P55_DOCUMENT,P55_NODE:CON,en,C029,/Document ''C029 - Forced Labour Convention, 1930 (No. 29)'']</ref> e n° 105<ref>[http://www.ilo.org/dyn/normlex/en/f?p=1000:55:0::NO::P55_TYPE,P55_LANG,P55_DOCUMENT,P55_NODE:CON,en,C105,%2FDocument ''C105 - Abolition of Forced Labour Convention, 1957 (No. 105)'']</ref>)<ref name=Minimum>[http://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---ed_norm/---declaration/documents/publication/wcms_081913.pdf ILO Minimum Estimate of Forced Labour in the World]. Por Patrick Belser, Michaëlle de Cock e Farhad Mehran. International Labour Office, Geneva, April 2005.</ref> )Em termos globais, as empresas privadas auferiram lucros de, pelo menos,[[USD]] 44,3 bilhões ao ano, graças à exploração do trabalho forçado. Desse total, USD 31.6 bilhões também estariam ligados ao tráfico de pessoas. Os maiores lucros advindos do trabalho forçado e ao tráfico de trabalhadores - mais de USD 15 bilhões - são registrados nos [[países industrializados]]. A OIT reconhece que essas cifras podem ser, na realidade, muito maiores.
 
Ainda segundo a OIT, mais de 2,45 milhões de trabalhadores forçados são vítimas do [[tráfico de pessoas]] ou seja, o tráfico alimenta 20% do trabalho forçado no mundo. A maior parte das pessoas traficadas destina-se à exploração do [[prostituição|comércio sexual]] (43%); 32% à exploração econômica (incluindo [[escravidão]], [[servidão]], [[escravidão por dívida]] e [[empregado doméstico|trabalho doméstico]] forçado e outros) e 25% a múltiplos tipos de exploração. A maior parte dessas pessoas se destina à região da [[Ásia-Pacífico]] (1,36 milhões). 12,3 milhões de pessoas estão submetidas a trabalho forçado, sendo que 9,8 milhões (80%) são exploradas por agentes privados e 2.5 (20%) milhões pelo Estado ou por milícias rebeldes<ref name=Minimum />.
 
Os lucros do tráfico de trabalho forçado estão estimados em mais de US $ 32 bilhões.<ref>[[ILO]]. [http://www.ilo.org/sapfl/Informationresources/ILOPublications/WCMS_081971/lang--en/index.htm Forced Labour and Human trafficking: Estimating the Profits]</ref>
 
Os lucros[[lucro]]s do tráfico de trabalho forçado estão estimados em mais de US $ 32 bilhões de [[Dólar dos Estados Unidos|dólares estadunidenses]].<ref>[[ILO]]. [http://www.ilo.org/sapfl/Informationresources/ILOPublications/WCMS_081971/lang--en/index.htm Forced Labour and Human trafficking: Estimating the Profits]</ref>
{{Commons|Category:Forced labor}}
{{referências}}