Abrir menu principal

Alterações

205 bytes adicionados, 19h23min de 21 de agosto de 2016
Algumas informações sobre a condenação
 
== Etimologia ==
[[Imagem:MAN Atlante fronte 1040572.JPG|thumb|esquerda|''Atlas''<br><small>[[Museu Arqueológico Nacional de Nápoles]]</small>]]A [[etimologia]] do nome ''Atlas'' é incerta. [[Virgílio]] traduzia a etimologia de nomes gregos, combinando-os com adjetivos que os explicava.: para Atlas, o adjetivo é ''durus'' ("duro"),<ref>''[[Eneida]]'' iv.247: "''Atlantis duri''" e outros; ver Robert W. Cruttwell, "Virgil, Aeneid, iv. 247: 'Atlantis Duri'" ''The Classical Review'' '''59'''.1 (May 1945), p. 11.</ref> o que sugeriu a to George Doig<ref>George Doig, "Vergil's Art and the Greek Language" ''The Classical Journal'' '''64'''.1 (October 1968, pp. 1-6) p. 2.</ref> que Virgílio tinha ciência
[[Imagem:MAN Atlante fronte 1040572.JPG|thumb|esquerda|''Atlas''<br><small>[[Museu Arqueológico Nacional de Nápoles]]</small>]]
A [[etimologia]] do nome ''Atlas'' é incerta. [[Virgílio]] traduzia a etimologia de nomes gregos, combinando-os com adjetivos que os explicava.: para Atlas, o adjetivo é ''durus'' ("duro"),<ref>''[[Eneida]]'' iv.247: "''Atlantis duri''" e outros; ver Robert W. Cruttwell, "Virgil, Aeneid, iv. 247: 'Atlantis Duri'" ''The Classical Review'' '''59'''.1 (May 1945), p. 11.</ref> o que sugeriu a to George Doig<ref>George Doig, "Vergil's Art and the Greek Language" ''The Classical Journal'' '''64'''.1 (October 1968, pp. 1-6) p. 2.</ref> que Virgílio tinha ciência
que o termo grego ''τλῆναι'' significa "endurecer"; Doig oferece a possibilidade adicional que Virgílio conhecesse a citação de [[Estrabão]] de que o nome nativo norte-africano da [[cordilheira do Atlas]] era ''Duris''. Uma vez que os montes Atlas estão na região habitada pelos [[berberes]], foi sugerido que o nome tenha sido tomado de uma das [[línguas berberes]], especificamente ''ádrār'' "mountanha".<ref>Estrabão, 17.3;</ref>
 
Tradicionalmente, linguistas históricos consideram a etimologia da palavra grega ''Ἄτλας'' ([[caso genitivo|genitivo]]: ''Ἄτλαντος'') como a junção de ''α-'' e a raiz proto-indo-europeia ''*telh₂-'' ("suportar") (também ''τλῆναι''), e que formatado como um nt-stem <ref name="Beekes">{{Cite document|title=Etymological Dictionary of Greek |volume=1 |author-link=Robert Beekes |first=Robert |last=Beekes |first2=Lucien |last2=van Beek |page=163 |year=2010 |publisher=Brill}}</ref>. Porém [[Robert Beekes]] argumenta que não pode esperar-se que esse antigo [[titã]] carregue um nome [[Línguas indo-europeias|indo-europeu]], e que a palavra é de origem pré-grega, e que tais palavras frequentemente terminam em ''-ant''.<ref name="Beekes"/>
 
== O Castigo ==
Juntando-se a outros titãs, forças do caos e da desordem, pretendiam alcançar o podersupremopoder supremo e atacaram o Olimpo, combatendo ferozmente Zeus e seus aliados, que eram as energias do espírito, da ordem e do Cosmos. Zeus trinfou e castigou seus inimigos - que eram escravos da matéria e dos sentidos, inimigos da espiritualização, lançando-os ao [[Tártaro (mitologia)|Tártaro]].
 
Porém para Atlas deu-lhe o castigo de sustentar para sempre nos ombros, o céu. Seu nome passou a significar "portador" ou "sofredor". Assim punido, passou a morar no país das [[Hespérides]], as três ninfas do Poente: Eagle, Eritia, Hesperatetusa.
 
Nas terras das Hespérides, Ninfas do Poente, estavam plantadas as maçãs de ouro, que tinham sido o presente de casamento, oferecido pela Terra, nas bodas de Zeus e Hera. AdeusaA deusa as plantara no jardim dos deuses e, para proteger a árvore e os frutos, deixara sob aguarda de um dragão de cem cabeças e das três ninfas do Poente.
 
Hércules em seus 12 trabalhos fora incumbido de trazer as maçãs de ouro, porém soube que somente Atlas conseguiria colhê-las. Hércules se propôs a segurar o céu enquanto Atlas colhia as maçãs e ele esperava entregar pessoalmente a Eristeu. Porém, Hércules o enganou, pedindo-lhe para voltar a segurar o céu enquanto ele guardava as maçãs, e fugiu. Por esse motivo, foram construidosconstruídos os pilares de Hércules e Atlas foi libertado do seu fardo. 
 
Atlas passou a ser o guardião dos Pilares de Hércules, sobre os quais os céus foramcolocadosforam colocados, e que também eram a passagem para o lar oceânico de Atlântida - o Estreito deGibraltarde Gibraltar, e por isso toda a cordilheira do norte da África, recebeu o nome de CordilheiradeCordilheira de Atlas. Tornou-se o primeiro rei de [[Atlântida (cidade antiga)|Atlântida]], e por ser o Senhor das águas distantes, além do [[Mar MediterrãneoMediterrâneo]], seu nome nomeou o oceano Atlântico.
 
Casou-se com Pleione, tendo sete filhas, as [[Plêiades (mitologia)|Pleiades]]: Alcyone, [[Maia (mitologia)|Maia]], [[Electra (filha de Atlas)|Electra]], Merope, Taigete, [[Celeno (filha de Atlas)|Celeno]] e Sterope. Por conhecer o caminho das terras distantes, na [[cartografia]], passou a representar a coleção de mapas da Terra. E por ter sustentado o céu, deu-se o nome de Atlas à 1a.primeira vertebravértebra da coluna cervical - uma referência onde suportava o gigantesco peso a que fora condenado a suportar. 
 
O mito de Atlas representa o peso das dificuldades cotidianas que pesam sobre nossos ombros e, embora possamos considerar que sejam pesados demais, o que está sobre Atlas, a 1a.primeira vertebravértebra da coluna cervical, é apenas a nossa cabeça, que guarda a nossa mente.
 
O mito está relacionado ao excesso de incumbências, obrigações, tarefas que aceitamos e não obedecemos a um limite, e nem resguardamos um espaço para atividades relaxantes. Cremos que podemos carregar o mundo nas costas, o que pode causar danos físicos e psicológicos. O complexo de Atlas é uma das doenças relacionadas ao stress da vida moderna.
Utilizador anónimo