Diferenças entre edições de "Bolo Souza Leão"

10 bytes removidos ,  18h42min de 30 de agosto de 2016
Acredita-se que a receita já seja conhecida desde a primeira metade do [[século XIX]], e tenha sido introduzida na história da culinária pernambucana por intermédio de Dona Rita de Cássia Sousa Leão Bezerra Cavalcanti, esposa de um coronel proprietário de vastos engenhos na região de [[Jaboatão dos Guararapes]].
 
A iguaria é preparada segundo uma receita que inclui [[Massa (alimento)|massa]] de [[mandioca]] ([[Puba|massa puba]]), [[leite de coco]], [[açúcar]], [[manteiga]] e [[ovo]]s. O resultado é um bolo cremoso, com a consistência de um pudim muito firme. Alguns dos ingredientes do Bolo Souza Leão eram originalmente europeus. Estes, com o passar do tempo, foram substituídos por produtos nacionais, facilmente encontráveis na região. O [[trigo]] deu lugar à massa de mandioca e a [[manteiga]] francesa foi trocada por aquela produzida na própria cozinha do engenho. A receita antiga, hipercalórica, levava 24 gemas de ovo e muita manteiga, então o bolo foi ganhando adaptações.<ref banananame="G1" />[[Imagem:Restaurante de comida regional - Recife, Pernambuco.jpg|thumb|esquerda|O bolo Souza Leão tem forte presença nos cardápios dos restaurantes de comida regional do [[Recife]] (foto).]]
 
.<ref name="G1" />
[[Imagem:Restaurante de comida regional - Recife, Pernambuco.jpg|thumb|esquerda|O bolo Souza Leão tem forte presença nos cardápios dos restaurantes de comida regional do [[Recife]] (foto).]]
 
O nome do quitute vem da família pernambucana [[Sousa Leão]], que teria sido a criadora da receita no século XIX. Essa família tem suas raízes nos municípios de [[Jaboatão dos Guararapes]] e [[Moreno]].