Abrir menu principal

Alterações

2 747 bytes adicionados, 23h57min de 6 de setembro de 2016
→‎Católicos: Felipe Pouchucq e João Felipe Cunha
 
=== Católicos ===
O [[Catecismo da Igreja Católica]] define a penitência interiror como "uma reorientação radical de toda a vida, um retorno, uma conversão para Deus de todo nosso coração, uma ruptura com o pecado, uma aversão ao mal e repugnância às más obras que cometemos. Ao mesmo tempo, é o desejo e a resolução de mudar de vida com a esperança da misericórdia divina e a confiança na ajuda de sua graça. Esta conversão do coração vem acompanhada de uma dor e de uma tristeza salutares chamadas pelos Padres de "animi cruciatus" (aflição do espírito, "compunctio cordis" (arrependimento do coração)."<ref>{{Citar web|url=http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p2s2cap1_1210-1419_po.html|titulo=Catecismo da Igreja Católica. Parágrafos 1210-1419|acessodata=2016-09-06|obra=www.vatican.va}}</ref>
 
Para os fiéis da [[Igreja Católica]], a prática da abstinência e o jejum são formas de penitência interior. Para ressaltar a sua relevância, ambas as práticas são o tema do [[Doutrina católica sobre os Dez Mandamentos|Quarto Mandamento da Lei da Igreja]], que diz: Jejuar e abster-se de carne, conforme manda a Santa Mãe Igreja". A regra então segue o [[Código de Direito Canónico|Código de Direito Canônico]]:
A [[Igreja Católica]] distingue entre jejum e abstinência. O jejum é a abstinência total ou parcial de comida e bebida (com excepção da água) enquanto que a abstinência é abster-se de alguma coisa que seja mais pesada ou mais cobiçada.
# Cân. 1249. "Todos os fiéis, cada qual a seu modo, estão obrigados por lei divina a fazer penitência; mas, para que todos estejam unidos mediante certa observância comum da penitência, são prescritos dias penitenciais, em que os fiéis se dediquem de modo especial à oração, façam obras de piedade e caridade, renunciem a si mesmos, cumprindo ainda mais fielmente as próprias obrigações e observando principalmente o jejum e a abstinência, de acordo com os cânones seguintes."
# Cân. 1250. "Os dias e tempos penitenciais, em toda a Igreja, são todas as sextas- feiras do ano e o tempo da quaresma."
# Cân. 1251. "Observe-se a abstinência de carne ou de outro alimento, segundo as prescrições da Conferência dos Bispos, em todas as sextas-feiras do ano, a não ser que coincidam com algum dia enumerado entre as solenidades; observem-se a abstinência e o jejum na quarta-feira de Cinzas e na sexta-feira da paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo."
# Cân. 1252. "Estão obrigados à lei da abstinência aqueles que tiverem completado catorze anos de idade; estão obrigados à lei do jejum todos os maiores de idade até os sessenta anos começados. Todavia, os pastores de almas e os pais cuidem que sejam formados para o genuíno sentido da penitência também os que não estão obrigados a lei do jejum e da abstinência, em razão da pouca idade."
# Cân. 1253. "A Conferência dos Bispos pode determinar mais exatamente a observância do jejum e da abstinência, como também substituí-la, totalmente ou em parte, por outras formas de penitência, principalmente por obras de caridade e exercícios de piedade."
Com referência ao cânon 1251, a CNBB afirma que o fiel católico brasileiro pode substituir a abstinência de carne por uma obra de caridade, um ato de piedade ou comutar a carne por um outro alimento.<ref>{{Citar web|url=https://padrepauloricardo.org/episodios/qual-e-o-ensinamento-da-igreja-em-relacao-a-jejuar-e-abster-se-de-carne|titulo=Qual é o ensinamento da Igreja em relação a jejuar e abster-se de carne?|acessodata=2016-09-06|obra=padrepauloricardo.org|lingua=pt-BR}}</ref>
 
O código deixa bem claro que está obrigado a todos os fiéis o jejum, que estão entre a idade de 18 a 60 anos. Entretanto, desde os 14 anos, os adolescentes já podem fazer algum tipo de abstinência.
Durante toda a [[Quaresma]] é proposta aos [[Católico]]s o jejum, a oração e/ou a abstinência a fim de que estes possam experienciar os quarenta dias que [[Jesus]] jejuou no deserto. Durante esse período é proposto que se abstenham de comer ou fazer algo e que o dinheiro que sobre dessa abstinência seja entregue a boas causas. Nas Sextas-feiras da Quaresma pode ser proposta, por exemplo, a abstinência de carne, por esta ser um alimento mais pesado e tradicionalmente mais caro.
 
O quarto mandamento da Lei da Igreja está em vigor levando a maioria dos católicos a cumprir esse preceito obrigatoriamente, o que não deve ser encarado como uma imposição, um sacrífico, mas sim, como meio de seguro de responder a apelo de Jesus à conversão do coração.
Na [[Sexta-Feira Santa]] e na [[Quarta-feira de cinzas|Quarta-Feira de Cinzas]] são os dias em que a Igreja estimula o jejum.
 
O jejum não é proposto a pessoas em condições especiais de vulnerabilidade: crianças, enfermos, viajantes, pessoas idosas ou muito fracas, e mulheres grávidas.
 
Os [[Pastorinhos de Fátima]] faziam frequentemente jejum pela expiação dos pecados do mundo.
 
=== Evangélicos ===
3

edições