Abrir menu principal

Alterações

79 bytes adicionados ,  21h15min de 12 de setembro de 2016
correção de acentuação
|fundo = Cantora
|imagem =
|imagem-tamanho=|legenda=|alt=|apelido = <!-- Alcunha ou apelido do artista -->
|nascimento_cidade=São Paulo|origem = [[São Paulo (cidade)|São Paulo]], [[São Paulo|SP]]
|país = {{BRA}}
|tipo vocal =
|gravadora = Guela Records, [[Som Livre]]
|afiliações = Nando Reis, Arnaldo Antunes
|influências=Billie Holiday, Rita Lee, Led Zeppelin, Gal Costa.|website = http://www.anacanas.com.br/
|Nome Completo =
|nascimento = {{dni|lang=b|14|9|1980}}
|falecimento = <!-- Data de falecimento -->
|atividade = <!-- Período de atividade -->
|modelos = <!-- Modelos favoritos do instrumento -->
}}
'''Ana Cañas''' ([[São Paulo (cidade)|São Paulo]], {{dnibr|14|9|1980|si}}) é uma [[cantor]]a e [[compositor]]a brasileira.
Em [[2009]], lança o segundo disco de estúdio, intitulado ''[[Hein?]]'' (Sony Music), que contém parcerias com Arnaldo Antunes e a participação de Gilberto Gil ao violão . A canção "Esconderijo", de autoria da própria Ana, alcançou projeção nacional ao integrar a trilha sonorada novela de Manoel Carlos, ''[[Viver a Vida (telenovela)|Viver a Vida]]''.
"Esconderijo" também foi eleita pela revista [[Rolling Stone Brasil|Rolling Stone]] uma das melhores músicas do ano e ganhou clipe em película dirigido por Selton Mello.
 
Ainda em 2009, Ana grava, a convite do cantor e compositor [[Nando Reis]], a música "Pra Você Guardei O Amor" - dueto que se tornou um grande hit nacional.
 
Em [[2012]], Ana retorna ao estúdio e lança o disco ''[[Volta (álbum de Ana Cañas)|Volta]]''<ref>{{citar web|url=http://www.territoriodamusica.com/resenhas/?c=4330|título=Ana Cañas: Volta|publicado=Território da Música|data=16 de julho de 2012|acessodata=6 de agosto de 2015}}</ref> (o primeiro pela gravadora Som Livre). O álbum contém versões para "Rock And Roll" do [[Led Zeppelin]] e as músicas autorais "Será Que Você me Ama?" e "Urubu Rei", entre outras. Posteriormente, o disco "Volta" transformou-se no show "Coração Inevitável" e contou com a direção e iluminação de [[Ney Matogrosso]]. O show foi registrado e lançado em DVD em 2013.
 
Em [[2015]] Ana Cañas lança seu quarto álbum de estúdio e o primeiro totalmente autoral, "''[[Tô na Vida]]''", e no dia 6 de julho de 2015 foi lançado o single homônimo do disco<ref>{{citar web|url=http://rollingstone.uol.com.br/noticia/exclusivo-ana-canas-divulga-clipe-para-balada-to-na-vida/#imagem0|título=Exclusivo: Ana Cañas divulga clipe para a balada “Tô Na Vida”|publicado=[[Rolling Stone Brasil]]|data=7 de junho de 2015|acessodata=8 de junho de 2015}}</ref> e ganhou clipe dirigido pela própria Ana em parceria com Philippe Noguchi.. Em entrevista, Ana revelou que o disco ''"Tô na Vida"'' nasceu do desejo de equiparar o som do disco com a energia dos shows e das performances ao vivo. É um disco mais roqueiro, gravado ao vivo, de maneira orgância e foi mixado por Mario Caldato.
 
Em [[2016]] a cantora faz a sua estréia nacional nos cinemas, ao participaparticipar do longametragem "''Amores Urbanos",'' da diretora Vera Egito (com quem Ana já havia trabalhado anteriormente no clipe de "Urubu Rei" e no DVD "Coração Inevitável"). No filme, Ana interpreta a homossexual Duda, que têm problemas de assumir publicamente o relacionamento com a namorada<ref>{{citar web|primeiro=Maria|último=Fortuna|url=http://blogs.oglobo.globo.com/gente-boa/post/ana-canas-sobre-drama-de-novo-papel-se-eu-fosse-gay-assumiria-numa-boa.html|título=Ana Cañas, sobre drama de novo papel: 'Se eu fosse gay, assumiria numa boa'|publicado=[[O Globo]]|data=13 de março de 2016|acessodata=15 de março de 2016}}</ref>. O filme foi exibido em diversos festivais internacionais e ganhou elogios da imprensa especializada.
 
== Discografia ==
3

edições