Diferenças entre edições de "Aliança (Bíblia)"

5 bytes adicionados ,  13h26min de 14 de setembro de 2016
sem resumo de edição
(Exclusão de parágrafo não pertinente. Adição de referência.)
'''Aliança''' (em [[hebraico]]: ''berith''; em [[língua grega|grego]], segundo a versão [[septuaginta]], ''diatheke''), no sentido [[bíblico]], refere-se ao pacto entre [[Deus]] e os homens. Refere-se à decisão de Deus de salvar a humanidade por meio de sua graça. Assim, segundo o cristianismo, Jesus encarna, morre e ressuscita para salvar os homens.
 
O termo é também utilizado como sinônimo da própria Bíblia (como acontece em versões latinas). Existem diversos rituais, indicados na Bíblia, que implicavam a formação de alianças entre pessoas ou diretamente com Deus. A primeira aliança a ser estabelecida aparece com a descida da [[arca de Noé]] no monte [[Ararate]], quando Deus faz aparecer o [[arco-íris]] como sinal da Velha Aliança - daí a expressão "arco-da-velha" (aliança) para designar este fenómeno [[óptica|óptico]].<ref>[https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/a-origem-da-expressao-arco-da-velha/23026 A origem da expressão arco-da-velha]. Ciberdúvidas da Língua Portuguesa.</ref> Outras alianças se sucedem na narrativa judaico-cristã, como o pacto com [[Abraão]] e a promessa de uma descendência mais numerosa que as estrelas do céu (e que tem o seu momento ritual quando Abraão divide ao meio uma [[novilho|novilha]], uma [[Bode|cabra]] e um cordeiro, por entre os quais passa uma labareda de fogo, como sinal divino). No judaísmo, tal aliança passaria a ser marcada também pelo ritual da [[circuncisão]]. Após [[o Êxodo]] do [[Egito]], o [[tribos de Israel|povo de Israel]] passa a ser testamentário de outra aliança que o torna no [[povo eleito]] de Deus. Na perspectiva cristã, com Apóstolo [[Paulo de Tarso|São Paulo]], passa-se a falar da Nova Aliança, selada com o sacrifício de [[Cristo]] para a remissão das [[alma]]s.
{{clr}}
{{referências}}
Utilizador anónimo