Diferenças entre edições de "Sejongue, o Grande"

10 bytes removidos ,  18h21min de 30 de setembro de 2016
m
ISBN
m
m (ISBN)
Na fronteira norte, Sejong criou quatro fortes e seis lugares ([[hangul]]: 사군육진; [[hanja]]:四郡六鎭) para proteger seu povo dos chineses hostil e nômades que viviam na Manchúria. Ele também criou diversos regulamentos militares para reforçar a segurança de seu reino. Rei Sejong apoiou o avanço da tecnologia militar da Coreia e do desenvolvimento de canhão. Diferentes tipos de argamassas e flechas de fogo foram testados também utilizando pólvora.
 
Em 1433, Sejong enviou [[Kim Jong-seo]] ([[hangul]]: 김종서; [[hanja]]: 金宗瑞), um general de destaque, ao norte para destruir o [[Manchu]]. Na campanha militar, Kim capturou vários castelos,e restaurou território coreano, aproximadamente à atual fronteira entre a Coreia do Norte e China.<ref><<책한권으로 읽는 세종대왕실록>>(Learning Sejong Silok in one book) ISBN 10 - 890107754X</ref>
 
== Ciência e tecnologia ==
== Hangul ==
[[Ficheiro:Hunmin jeong-eum.jpg|140px|thumb|''[[Hunmin Jeongeum]] Eonhae'']]{{Artigo principal|Hangul}}
Rei Sejong, impactou profundamente a história coreana com sua introdução de hangul, o alfabeto fonético e sistema nativo para o idioma coreano.<ref>Kim Jeong Su(1990), <<한글의 역사와 미래>>(History and Future of Hangul) ISBN 10 - 8930107230</ref>
 
Antes da criação do Hangul, apenas os membros da classe mais elevada eram alfabetizados, utilizando-se o [[hanja]], que era tipicamente usado para escrever coreano usando adaptado caracteres chineses, enquanto Hanmun às vezes era usado para escrever documentos judiciais em chinês clássico. E tinham que aprender os caracteres hanja bastante complexo, a fim de ler e escrever coreano. Além disso, apesar das modificações com os caracteres chineses, poderia revelar-se complicado hanja ao transcrever o idioma coreano, devido à gramática diferenças consideráveis e despacho de pronúncia.<ref>''[[Hunmin Jeongeum Haerye]]'', postface of [[Jeong Inji]], p. 27a, translation from [[Gari K. Ledyard]], ''The Korean Language Reform of 1446'', p. 258</ref>