Diferenças entre edições de "Barjas Negri"

346 bytes adicionados ,  12h05min de 24 de outubro de 2016
m
Remoção de insultos.
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Remoção de insultos.)
[[Imagem:Barjas Negri.jpg|miniatura|300px|right|Foto:Fabio Pozzebom/[[Agência Brasil]]]]
'''Barjas Negri''' ([[São Paulo (cidade)|São Paulo]], {{dni|lang=br|8|12|1950|si}}) é um [[economista]] e [[político]] [[brasil]]eiro.
 
Foi [[Ministério da Saúde (Brasil)|ministro da Saúde]] durante o governo [[Fernando Henrique Cardoso]], e foi também (2005–2012) [[Prefeitura (Brasil)|prefeito de]] [[Piracicaba]], sendo novamente eleito em 2016.<ref>{{Citar periódico|data=2016-10-02|titulo=Barjas Negri (PSDB) é eleito prefeito de Piracicaba para terceiro mandato|jornal=Eleições 2016 em Piracicaba e Região|url=http://g1.globo.com/sp/piracicaba-regiao/eleicoes/2016/noticia/2016/10/barjas-negri-psdb-e-eleito-prefeito-de-piracicaba-para-terceiro-mandato.html|idioma=pt-BR}}</ref>
 
== corrupto!!!!!!!!!!Vida ==
 
== vai ser preso em breve by:anarchy ghost ==
Formado em [[Economia]] pela [[Universidade Metodista de Piracicaba|UNIMEP]], Barjas Negri exerceu a ocupação de professor na Universidade Metodista de Piracicaba e na Unicamp. Em 1977 recebeu o título de Mestre e Doutor em Economia, ambos pela [[Universidade Estadual de Campinas|Universidade Estadual]] [[Campinas|de Campinas]] (UNICAMP).
 
== Controvérsia ==
Em 2006 Barjas Negri teve seu nome envolvido no ''[[Escândalo das Sanguessugas]]'', como suposto braço direito de [[José Serra]]<ref>[http://www.estadao.com.br/ultimas/nacional/noticias/2006/set/15/138.htm Estadão - 15 de setembro de 2006]</ref>
na liberação da compra de ambulâncias [[Suborno|superfaturadas]]. Em depoimento à [[CPI das Sanguessugas]], Negri negou qualquer envolvimento com o esquema. Porem, durante a gestão do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), Negri assumiu, entre 2003 e 2004, a presidência da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano de São Paulo. Nesse período, o TCE condenou ou responsabilizou Barjas Negri por irregularidades praticadas em 102 contratos firmados pela autarquia. Reportagem, assinada pelo jornalista Alessandro Rodrigues, afirma que a maioria das irregularidades condenadas pelo TCE ocorreu por licitações dirigidas, aditamentos icorrupto!!!!!!!!!!irregulares acima do percentual determinado pela lei - e prejuízo à competitividade e economicidade das unidades habitacionais construídas no período. Mesmo o governo do Estado tendo cortado os recursos para a habitação popular, Barjas Negri movimentou um orçamento bilionário entre os anos de 2003 e 2004, chegando a R$ 1,33 bilhão neste período.<ref>[http://congressoemfoco.ig.com.br/Resumo.aspx?id=1631&tipo=3 Resumo do Congresso]</ref>
 
vai ser preso em breve by:anarchy ghost{{Referências}}
 
 
27 168

edições