Diferenças entre edições de "Modernidade"

12 bytes adicionados ,  00h32min de 26 de outubro de 2016
Algumas correções básicas.
(Adicionei mais algumas informações complementares à sessão.)
(Algumas correções básicas.)
Buscando uma tentativa de reerguimento do projeto moderno, Habermas institui dois conceitos que buscam uma neutralidade na perspectiva racional e impeça a colonização do mundo vivido. O [[Mundo da vida]] e a [[Razão comunicativa]] possibilitam a comunicação entre os indivíduos que compõem as esferas de valor, criando elos que permitem o compartilhamento de conhecimentos e a troca simbólica. A partir dessa vertente, elos como as artes, as universidades e a prática do direto, dialogam com as esferas regidas pelo mundo sistêmico levando ao fortalecimento das fontes de emancipação da modernidade.
 
Para que isso ocorra, a concepção de modernidade defendida por Habermas sustentaconsiste em que haja uma determinada concepção de democracia, precisamente a [[Democracia deliberativa]], a qual estimula a participação da [[Sociedade civil]] na tomada de decisões políticas no que envolve as decisões da [[Esfera pública]].<ref>{{citar web|url=http://www.cadernocrh.ufba.br/viewarticle.php?id=430|titulo=Jürgen Habermas,modernidade e democracia deliberativa.|data=2006|acessodata=|obra=Jürgen Habermas, modernidade e democracia deliberativa|publicado=Cadernos do CRH (UFBA|ultimo=Vitale|primeiro=Denise}}</ref>{{referências}}
 
==Ligações externas==