Diferenças entre edições de "Serra da Cantareira"

3 542 bytes removidos ,  17h53min de 27 de outubro de 2016
Desfeita a edição 47060437 de Cantareira serra
m (Acrescentada a seção problemas enfrentados)
(Desfeita a edição 47060437 de Cantareira serra)
{{referências|Notas e referências|col=2}}
 
{{Commonscat|Serra da Cantareira}}PROBLEMAS ENFRENTADOS
 
Conforme informações, que nos causam espanto, da Força Aérea Brasileira e o DECEA - Departamento de Controle do Espaço Aéreo, em acordo com a ICAO - International Civil Aviation Organization, desde o ano de 2013 foram designadas rotas da aviação civil, incrivelmente sobre nada mais, nada menos, do que a Serra da Cantareira, floresta tombada pela UNESCO, como patrimônio da Humanidade, por ser a última floresta urbana do planeta Terra e portanto, área que deveria ser preservada pelo governo do Brasil.
 
Essas atordoantes rotas de avião, por não respeitarem as nossas leis do silêncio e leis ambientais, estão impactando no ecossistema dessa floresta e na saúde das pessoas que ali vivem, havendo inclusive processo no Ministério Público Federal do Brasil pela segunda razão (diga-se de passagem em constante processo de postergação).
 
Incrivelmente, no nosso País, Brasil, tem sido difícil para o contribuinte que mora na Serra da Cantareira, descansar à noite e se restabelecer para trabalhar no dia seguinte, já que sobre esse local, que está a 1200 metros do nível do mar e que fica a 20km do Aeroporto Internacional de Guarulhos, passam em torno de 800 aeronaves 24 horas por dia, 7 dias da semana, despejando fuligem sobre a vegetação e gerando em torno de 75dB no interior de diversas casas mais expostas às emissões diuturnas e ininterruptas de CO2 e ruído dessas rotas de aviões.
 
Nós, moradores da Serra da Cantareira, localizada na cidade de Mairiporã, estado de São Paulo, Brasil, estamos nos sentindo desamparados pelas nossas autoridades, pelas Organizações Não Governamentais, como Greenpace e SOS Mata Atlântica e pela maior parte da mídia em geral (falada, impressa e televisiva), em plena época que discute sobre a situação alarmante do aquecimento global.
 
“According to information, which cause us astonishment, the Brazilian Air Force Força Aérea Brasileira and the DECEA - Departamento de Controle do Espaço Aéreo in accordance with ICAO - International Civil Aviation Organization since the 2013 civil aviation routes have been designated, incredibly about nothing more, nothing less, than the Serra da Cantareira, forest registered by UNESCO as a heritage of humanity, to be the last urban forest of the planet Earth and thus, an area that should be preserved by the government of Brazil.
 
These stunning routes by plane, do not respect our laws of silence and environmental laws are impacting the ecosystem of this forest and the health of people living there, with even process in the Federal Public Ministry of Brazil for the second reason (say to passage in a constant process of postponement).
 
Incredibly, in our country, Brazil, has been difficult for the taxpayer who lives in the Serra da Cantareira, rest at night and restore to work the next day, as on this site, which is 1200 meters above sea level and is 20km from Guarulhos International Airport, pass around 800 aircrafts 24 hours a day, 7 days a week, pouring soot on vegetation and generating around 75dB within several more exposed homes to diuturnal uninterrupted CO2 emissions and noise of these routes planes.
 
We, residents of the Serra da Cantareira, located in the city of Mairiporã, State of São Paulo, Brazil, we are feeling helpless by our authorities, by non-governmental organizations, as greenpace and SOS Atlantic Forest and most of the media in general (spoken , print and television) in full time discussing about the alarming situation of global warming.”
[[Categoria:Geografia de São Paulo]]
[[Categoria:Picos do Brasil]]
7 053

edições