Diferenças entre edições de "Mímica"

4 bytes removidos ,  23h25min de 6 de novembro de 2016
[[Imagem:PANTOMIME-PABLO.jpg|miniaturadaimagem]]
 
=== Breve história da mímica ===
 
A origem dramática da mímica ocidental reporta-se ao [[teatro grego]]. Segundo alguns, estaria ela atrelada a uma das Musas – [[Polímnia]] – que, juntamente com [[Terpsícore]] ([[dança]]) e [[Calíope]] [[poesia]]) teria sido responsável pela educação de [[Apolo]], antes de sua ascensão ao [[monte Parnaso]]. Entenda-se, portanto, que essas três manifestações estão intimamente associadas.
 
 
Permaneceu com esta Companhia até a sua morte, mas todo o tempo em que lá esteve a serviço dessa manifestação artística serviu para que ele começasse a dar o estilo que sobreviveu dentro da mímica até hoje, associando o mímico a figura do Pierrô.
 
.
 
A mímica viveu outro sucesso durante a Primeira Guerra Mundial, através da figura do grande Jacques Copeau, que foi professor, por seu turno, de Charles Dullin e Etienne Decroux, na Escola Vieux-Columbier. Este último, juntamente com outro aluno da mesma escola, Jean-Louis Barrault, desenvolveu a Mímica Corporal Dramática e participou como ator em diversos filmes, colaborando com a parte mímica no filme "Lês enfants du paradis" (1945) de Marcel Carné. O filme, rodado sob o olhar censor da Gestapo, falava da biografia ficcional de Deburau, junto aos "Funâmbulos".
Utilizador anónimo