Diferenças entre edições de "Paliativismo"

196 bytes removidos ,  01h26min de 8 de novembro de 2016
Desfeita a edição 47153452 de Osvaldo.lsilvajr
(→‎História: Adição de referência)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
(Desfeita a edição 47153452 de Osvaldo.lsilvajr)
 
==História==
O cuidado paliativo se confunde historicamente com o termo hospice, que definia abrigos destinados a receber e cuidar de peregrinos viajantes. O relato mais antigo remonta do século V, quando Fabíola, discípula de São Jerônimo, cuidava de viajantes provindos da Ásia, África e dos países do Leste no Hospício do Porto de Roma. <ref> CORTES, C. C. Historia y desarollo de los cuidados paliativos. In: Marcos G. S. (ed.).Cuidados paliativos e intervención paicossocial em enfermos com cáncer. Las palmas: ICEPS, 1988 <\ref>Uma ordem religiosa, no século XIX, os resumiu a locais destinados a moribundos na [[Irlanda]] e em [[Londres]]. O [[hospice]] moderno é um conceito relativamente recente que surgiu no [[Reino Unido]] após a fundação do St. Cristopher's Hospice, em 1967. Foi fundado por Cicely Saunders, amplamente conhecida como fundadora do movimento do hospice moderno.
 
O paliativismo tem crescido intensamente nos últimos anos. No Reino Unido, nos anos de 2003 e 2004, cerca 250 mil pessoas foram pacientes da prática nos hospices ou em outros locais de atendimento. Hoje, o tratamento é gratuito e sustentado através de [[caridade]], apesar de já ter sido financiado pela ''National Health Service''.
3 045

edições