Diferenças entre edições de "Isoptera"

3 bytes removidos ,  00h16min de 16 de novembro de 2016
m
Foram revertidas as edições de 2804:138B:B0F0:8202:A7BC:FA59:BC0:F37F para a última revisão de Angrense, de 23h31min de 10 de novembr...
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Foram revertidas as edições de 2804:138B:B0F0:8202:A7BC:FA59:BC0:F37F para a última revisão de Angrense, de 23h31min de 10 de novembr...)
A dispersão e fundação de novas colônias geralmente ocorre num determinado período do ano, coincidindo com o início da estação chuvosa. Nessa época, ocorrem as revoadas de cupins alados (chamados popularmente de '''aleluias''', '''ararás''' (do [[língua tupi|tupi]] ''ara'ra'': 'espécie de formiga'), '''cupins''', '''sililuias''', '''siriruias'''<ref>FERREIRA, A. B. H. ''Novo dicionário da língua portuguesa''. Segunda edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 80.</ref> ou '''siriris'''), dos quais alguns poucos conseguem se acasalar e fundar uma nova [[colónia (biologia)|colônia]].
 
As espécies mais conhecidas de colônias são aquelas que formam aglomerados de terra, conhecidas no Brasil como cupinzeiros, são extremamente nocivos para imóveis e materiais feitos em madeiras, porém as colônias mais comuns no meio urbano são as dos chamados cupins de madeira seca, que se instalam dentro de móveis e peças de madeira, sem criar estruturas externas, por isso podem passar anos despercebidos.tal
 
==Cupins como alimento dos nativos das Américas==
123 398

edições