Diferenças entre edições de "Mouraria"

510 bytes adicionados ,  20h56min de 8 de dezembro de 2016
sem resumo de edição
[[Imagem:Beco dos Três Engenhos, Mouraria.jpg|thumb|right|150px|Beco dos Três Engenhos, junto à [[Rua do Capelão]], Mouraria.]]
A '''Mouraria''' é um dos mais tradicionais bairros da [[cidade]] de [[Lisboa]], que deve o seu nome ao facto de [[Afonso I de Portugal|D. Afonso Henriques]], após a [[Cerco de Lisboa (1147)|conquista de Lisboa]], ter confinado uma zona da cidade para os [[muçulmanos]]. Foi neste bairro que permaneceram os mouros após a [[Reconquista|Reconquista Cristã]]. Por sua vez, os judeus foram confinados aos bairros do [[Castelo (Lisboa)|Castelo]].
Atualmente faz parte da Freguesia de Santa Maria Maior.Fazem parte do seu território as antigas freguesias de Socorro,São Cristóvão e São Lourenço,parte da encosta do Castelo de São Jorge e o Intendente.A Praça do Martim Moniz resultou da demolição de antigas ruas deste Bairro e seus edifícios.
 
Neste e nos bairros circundantes, tiveram origem as primeiras produções de [[arte mudéjar]] portuguesa, que viriam a dar alas para o surgimento do [[Manuelino]].
 
Depois da abertura ao público do [[Centro Comercial da Mouraria]] no [[Martim Moniz (Metro de Lisboa)|Martim Moniz]], o bairro tornou-se num local bastante movimentado e acolhedor. Actualmente, a Mouraria é considerado um dos bairros mais seguros da capital; é um ponto de encontro de gentes de diferentes culturas e, simultaneamente, um local que mantém vivas as suas antigas tradições populares, como se pode confirmar pela existência de várias casas de fado, bares, tabernas e colectividades culturais e desportivas a par de estabelecimentos comerciais de origem chinesa e indiana, entre outros.
A Mouraria é um Bairro que após anos de esquecimento começou a ter obras de requalificação que o estão a tornar num dos pontos mais interessantes de Lisboa do ponto de vista turístico e cultural.
 
==Referências na cultura==
Utilizador anónimo