Diferenças entre edições de "Produtor musical"

1 728 bytes adicionados ,  12h12min de 21 de dezembro de 2016
informações sobre a profissão de produtor musical e seu reconhecimento no Brasil.
(acrescimento de uma universidade que oferece o curso de produção fonografica, aeso em recife - pe)
(informações sobre a profissão de produtor musical e seu reconhecimento no Brasil.)
 
No [[Brasil]] existe o Bacharelado em Música com ênfase em produção musical na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) , a Graduação em Produção Fonográfica na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) em São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Graduação em Produção Fonográfica na Universidade Católica de Pelotas (UCPel), Rio Grande do Sul, Graduação em Produção Fonográfica em Faculdades Integradas Barros Melo (AESO) , Recife - PE, e Graduação em Produção Fonográfica na Universidade Estácio de Sá no Rio de Janeiro, RJ.
 
A profissão de produtor musical no Brasil foi desenvolvida desde a chegada de grandes consoles e maquinas de gravação analógica por músicos e arranjadores com conhecimento técnico em áudio e musical, tornando possível hoje ser uma profissão reconhecida e formação universitária, porém é negado aos pioneiros da profissão o diploma universitário (Universidade Anhembi Morumbi) em produção musical para aqueles que são os professores no segmento.
 
''Ricardo F. Ramos'' - Quando solicitei a Universidade Anhembi Morumbi via e-mail o reconhecimento e diploma em produção musical foi negado) A profissão e diploma em produção musical deveria ser entregue com reconhecimento do MEC para profissionais que apresentassem um disco (vinil) CD ou DVD gravado para grandes empresas fonográficas como: Sony Music, Som Livre, Universal Music e outras, com seus devidos nomes impressos na ficha técnica da produção, isso é a prova de reconhecimento real de produção de sucesso, pois nenhuma empresa fonográfica lançaria no mercado um produto com sua marca sem qualidade de produção musical.
 
Fui convidado a fazer o curso pela Universidade Anhembi Morumbi de produção musical, porem quando solicitei o curriculum dos professores e os discos produzidos para grande companhias fonograficas não tive retorno. Isso demonstra a fragilidade da formação de novos profissionais no segmento. Um dos maiores engenheiros de gravação e mixagem do Brasil já falecido meu grande amigo e parceiro em muitas produções ¨Getúlio Junior¨ perguntava para aqueles que se diziam profissionais da musica: QUEM TE ENSINOU SABIA? (''Ricardo F. Ramos (55) Presidente Fundador do Sindigrava - www.produtormusical.net''
 
{{Tópicos musicais}}