Diferenças entre edições de "Isoptera"

16 bytes removidos ,  15h41min de 22 de dezembro de 2016
sem resumo de edição
m (Foram revertidas as edições de 2804:138B:B0F0:8202:A7BC:FA59:BC0:F37F para a última revisão de Angrense, de 23h31min de 10 de novembr...)
*[[Termitidae]]
}}
'''Isoptera''' é uma [[Ordem (biologia)|ordem]] de [[insetos]] [[eusocialidadeEussocialidade|eusociaiseussociais]], conhecidos por isópteros, que inclui as espécies popularmente designadas por '''cupim''' ou '''itapicuim'''(no [[Brasil]]),<ref>FERREIRA, A. B. H. ''Novo dicionário da língua portuguesa''. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 10986. p. 510.</ref> (no [[Brasil]]), '''térmite''' ou '''térmita''' (em [[Portugal]]), '''salalé''' (em [[Angola]])<ref>[http://www.dicio.com.br/salale/ Dicio.com - Salalé], acessado em 13 de fevereiro de 2016.</ref> e '''muchém''' (em [[Moçambique]])<ref>[http://www.lexico.pt/muchem/ Lexico.pt - Significado de Muchém], acessado em 13 de Fevereiro de 2016.</ref>. Com cerca de 2 800 [[espécie]]s catalogadas no mundo, esses insetos são notórios pelos prejuízos econômicos que causam como [[Praga (organismo)|pragas]] de [[Madeira (material)|madeira]] e de outros materiais [[celulose|celulósicos]], ou ainda como pragas agrícolas, apesar de apenas cerca de 10% das espécies conhecidas de cupim possuir estas características.
 
Em número de espécies, a ordem Isoptera deve ser considerada intermediária entre os insetos; já em termos de [[biomassa]] e abundância, os cupins apresentam enorme significância e podem ser comparados às [[formiga]]s, [[minhoca]]s, [[mamíferos]] [[herbívoro]]s das [[savana]]s africanas ou seres humanos, por exemplo, e estão entre os mais abundantes [[invertebrados]] de solo de [[ecossistema]]s [[Clima tropical|tropicais]]. Esta grande abundância dos cupins nos ecossistemas, aliada à existência de diferentes [[Simbiose|simbiontes]], confere, a estes insetos, a possibilidade de desempenhar papéis como o de "[[Decompositor|super decompositores]]" e auxiliares no balanço [[carbono]]-[[nitrogênio]] (Higashi & Abe, 1997).
Utilizador anónimo