Catorze santos auxiliares: diferenças entre revisões

3 bytes removidos ,  17h01min de 3 de janeiro de 2017
m
→‎Histórico de Veneração: Retirei os parêntesis retos colocados no meio da frase, agramaticalmente.
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição via aplic. móvel
m (→‎Histórico de Veneração: Retirei os parêntesis retos colocados no meio da frase, agramaticalmente.)
|autor_passagem =
}}
Os '''catorze santos auxiliares''' são um grupo de santos invocados pelos cristãos em casos de necessidade especial, geralmente para se curar de doenças particulares. As tradições cristãs contam que a devoção a esses santos nasceu na Alemanha, na região da Renania do século XV, quando o Menino [[Jesus]] teria aparecido para o pastor [[Hermann Leicht Langheim]] <ref Namename="Dippold">Günter Dippold, ''Basilika Vierzehnheiligen'', Ed. Obermain Bornschlegel, Bad Staffelstein, 1992, ISBN 3-9801257-4-2, pag. 2</ref>, a [[peste negra]] que assolava a [[Europa]] no supracitado período teria auxiliado a propagação do culto. <ref name="litanies">[http://www.catholictradition.org/Litanies/litany63.htm "The Fourteen Holy Helpers"]</ref>
 
== Histórico de Veneração ==
Entre o grupo encontram-se três virgens mártires: [[Santa Margarida de Antioquia]], [[Bárbara (santa)|Santa Bárbara]] e [[Santa Catarina de Alexandria]], conhecidas também como ''Santas de Casa''.
 
Como os outros santos começaram a ser invocados juntos dessas três virgens mártires, eles passaram a ser representados juntos em trabalhos artísticos. A veneração popular teve início nos [[mosteiro]]s que traziam dentro de si as [[relíquias]] dos ditos santos. Todos os catorze, com exceção de Santo Egídio, foram [[martírio|martirizados]]. Como o culto aos Catorze Santos Auxiliadores mostrou-se forte no [[século XVI]], o [[Papa Nicolau V]] estendeu indulgência àqueles que mantivessem devoção pelos santos do grupo, o que não foi longamente aplicado, tendo caído em desuso.
[[
Como o culto aos Catorze Santos Auxiliadores mostrou-se forte no [[século XVI]], o [[Papa Nicolau V]] estendeu indulgência]] àqueles que mantivessem devoção pelos santos do grupo, o que não foi longamente aplicado, tendo caído em desuso.
 
Embora tenham festas em dias separados, os catorze são comemorados no dia [[8 de agosto]], embora essa data nunca tenha tomado parte do ''[[Calendário Romano Geral]]'' para veneração universal. Quando esse calendário foi revisto em 1969, as celebrações individuais de Santa Bárbara, Santa Catarina de Alexandria, [[São Cristóvão]] e Santa Margarida de Antioquia foram abandonadas, embora em 2004 o [[Papa João Paulo II]] tenha restituído para 25 de novembro uma [[memória]] facultativa a Santa Catarina de Alexandria, cuja voz foi ouvida por [[Joana d'Arc|Santa Joana d’Arc]]. A celebração individual de todos os catorze foi incluída no ''Calendário Geral Romano de 1954'', o ''Calendário Geral Romano do Papa Pio XII'' e o ''Calendário Geral Romano de 1962''.
110

edições