Abrir menu principal

Alterações

385 bytes adicionados, 12h30min de 5 de janeiro de 2017
correção de ligação +correções semiautomáticas (v0.51/3.1.38)
[[FicheiroImagem:Talmud Babli bokhylle.jpg|rightdireita|thumb|O Talmude, numa edição moderna impressa]]
O '''Talmude''' (em [[Língua hebraica|hebraico]]: תַּלְמוּד, [[Transliteração|transl.]] ''Talmud'') é um livro sagrado dos [[Judaísmo|judeus]],<ref>STUDENT, G. [http://www.chabad.org.br/biblioteca/artigos/talmud/home.html ''O que é o Talmud?'']. Acesso em 8 jan. 2015.</ref> um registro das discussões [[Rabino|rabínicas]] que pertencem à [[Halachá|lei]], [[Ética judaica|ética]], costumes e história do [[judaísmo]].<ref name="Je">[http://www.jewishvirtuallibrary.org/jsource/Judaism/talmud_&_mishna.html ''The Oral Law - Talmud & Mishna''] (em inglês). In: Jewish Virtual Library. Acesso em 8 jan. 2014</ref> É um texto central para o [[judaísmo rabínico]].<ref name="Je" />
 
O Talmude tem dois componentes: a [[Mishná]], o primeiro compêndio escrito da Lei Oral judaica; e o [[Guemará]], uma discussão da Mishná e dos [[Tannaim|escritos tanaíticos]] que frequentemente abordam outros tópicos.<ref>{{cite encyclopedia |title=Talmud and Midrash (Judaism) :: The making of the Talmuds: 3rd-6th century |encyclopedia=Encyclopædia Britannica |publisher=Encyclopædia Britannica Online |year=2008 |url=http://www.britannica.com/EBchecked/topic/581644/Talmud-and-Midrash/34869/The-making-of-the-Talmuds-3rd-6th-century#ref=ref24372 |accessdate=28 October 2013}}</ref>
 
O Mishná foi redigido pelos mestres [[tanaítas]] (''Tannaim''), termo que deriva da palavra hebraica que significa "ensinar" ou "transmitir uma tradição". Os tanaítas viveram entre o século I e o século III d.C.<ref name="abc">[http://www.britannica.com/EBchecked/topic/582660/tanna ''Tanna''] In: Encyclopedia Britannica. Acesso em 8 jan. 2015.</ref> A primeira codificação é atribuída ao [[Rabi Akiva]] ({{DC|50|x}} – {{DC|130|x}}), e uma segunda, ao [[Rabi Meir]] (entre {{DC|130|x}} e {{DC|160|x}}), ambas as ''versões'' tendo sido escritas no atual [[Língua aramaica|idioma aramaico]], ainda em uso no interior da [[Síria]].<ref name="abc" />
 
Os termos ''Talmud'' e ''Guemará'' são utilizados frequentemente de maneira intercambiável.<ref>{{Citar web|url=http://people.ucalgary.ca/~elsegal/TalmudMap/Gemara.html|titulo=Gemara (Talmud)|acessodata=2017-01-05|obra=people.ucalgary.ca}}</ref> A Guemará é a base de todos os códigos da [[Halachá|lei rabínica]], e é muito citada no resto da literatura rabínica; já o Talmude também é chamado frequentemente de '''Shas''' (hebraico: ש"ס), uma [[abreviação]] em [[Língua hebraica|hebraico]] de ''shisha sedarim'', as "seis ordens" da Mishná.<ref>{{Citar periódico|titulo=Talmud and Midrash {{!}} Judaism|jornal=Encyclopedia Britannica|url=http://www.britannica.com/EBchecked/topic/581644/Talmud-and-Midrash}}</ref>
 
== História ==
=== Lei oral ===
{{Principal|Torá oral}}
[[FicheiroImagem:Talmud.jpg|thumb|Primeira página da edição de [[Vilna]] do ''Tractate Berachot'', Talmude [[Babilônia (região)|babilônico]], ''folio 2a''.]]
Originalmente, o estudo acadêmico do [[judaísmo]] era oral. Os [[rabino]]s expunham e debatiam a lei (isto é, a [[Torá]]) e discutiam o [[Tanakh]] sem o benefício das obras escritas (além dos próprios livros bíblicos), embora alguns possam ter feito anotações privadas (''meguilot setarim''), por exemplo, a respeito das decisões de cortes. A situação se mudou drasticamente, no entanto, principalmente como resultado da destruição da comunidade judaica no ano de {{DC|70|x}}, e os consequentes distúrbios nas normas legais e sociais judaicas. À medida que os rabinos foram forçados a encarar uma nova realidade — principalmente a dum judaísmo sem um [[Templo de Salomão|Templo]] (para servir como centro de estudo e ensino) e uma [[Judeia]] sem [[autonomia]] — surgiu uma enxurrada de discursos legais, e o antigo sistema de estudiosidade oral não pôde ser mantida. Foi durante este período que o discurso rabínico passou a ser registrado na escrita.<ref>Ver Strack, Hermann, ''Introduction to the Talmud and Midrash'', Jewish Publication Society, 1945. pgs. 11-12. "[A Lei Oral] foi transmitida de boca a boca, durante um longo período… As primeiras tentativas de anotar os assuntos tradicionais, existem motivos para se acreditar, datam da primeira metade do segundo século pós-cristão." Strack teoriza que o crescimento dum [[cânone]] [[Cristianismo|cristão]] (o [[Novo Testamento]]) foi um fator que teria influenciado os rabinos a registrar a lei oral através da escrita.</ref><ref>A teoria de que a destruição do Templo e a subsequente desordem foi explicada pela primeira vez na Epístola de [[Sherira Gaon]], e repetida frequentemente. Ver, por exemplo, Grayzel, ''A History of the Jews'', Penguin Books, 1984, p. 193.</ref> A primeira lei oral registrada pode ter sido na forma dos [[Midrash]], na qual a discussão [[Halaca|haláquica]] está estruturada como comentários [[Exegese|exegéticos]] sobre o [[Torá|Pentateuco]]. Uma forma alternativa, porém, organizada pelos tópicos de assuntos, em vez dos versos bíblicos, tornou-se dominante por volta do ano {{DC|200|x}}, quando o rabino [[Judá HaNasi]] redigiu a [[Mishná]] (משנה).
 
 
=== Baraita ===
Além da Mishná, outros ensinamentos [[Tannaim|tanaíticos]] eram correntes na mesma época, e por algum tempo depois.<ref>{{Citar web|url=http://www.britannica.com/search?query=baraita|titulo=Search {{!}} Britannica.com|acessodata=2017-01-05}}</ref> A [[Guemará]] frequentemente se refere a estas declarações tanaíticas, para compará-los àqueles contidos na Mishná e para apoiar ou refutar as proposições dos ''[[Amoraim]]''.<ref>há milhares de passagens no Talmud - veja, por exemplo no tratado de Berachot folha 4 página b</ref> Todas estas fontes tanaíticas não-mishnaicas são denominadas de [[Baraita|''baraitot'']] (singular ''baraita'', ברייתא - literalmente "material de fora", se referindo às obras externas ao Mishná).<ref>{{Citar web|url=http://www.jewishvirtuallibrary.org/jsource/Judaism/baraita_tosefta.html|titulo=Baraita and Tosefta {{!}} Jewish Virtual Library|acessodata=2017-01-05|obra=www.jewishvirtuallibrary.org}}</ref>
 
=== Guemará ===
{{Principal|Guemará}}
Nos três séculos que se seguiram à redação da [[Mishná]], os [[rabino]]s de [[Israel]] e da [[Babilônia (Regiãoregião)|Babilônia]] analisaram, debateram e discutiram aquela obra. Estas discussões foram a [[Guemará]] (גמרא). A palavra significa "completude", em [[Língua hebraica|hebraico]], do [[verbo]] ''gamar'' (גמר), "completar", "aprender". A Guemará se focaliza principalmente na elucidação e elaboração das opiniões dos ''[[Tannaim]]''. Os rabinos do Guemará ficaram conhecidos como ''[[Amoraim]]'' (no singular ''Amora'', אמורא).
 
Boa parte da Guemará consiste de análises [[Lei|legais]]. O ponto de partida para a análise é, costumeiramente, uma declaração legal existente em determinada Mixná. A declaração é então analisada e comparada com outras declarações, numa [[Dialética|troca dialética]] entre dois disputantes (frequentemente anônimos, por vezes metafóricos), que são chamados de ''makshan'' ("questionador") e ''tartzan'' ("respondendor"). Outra função importante da Guemará é identificar a base bíblica correta para determinada lei apresentada na Mishná, assim como o processo lógico que a conecta com outra: esta atividade era conhecidade como ''talmud'', muito antes da existência do Talmude como texto.
 
 
=== Halachá e Hagadá ===
O Talmude contém um material vasto, que aborda assuntos de naturezas muito diversas. Tradicionalmente, as declarações talmúdicas podem ser classificadas em duas categorias amplas, as declarações ''[[Halachá|haláquicas]]'' e ''[[Hagadá|hagádicas]]''.<ref>Livro '''Mavo LaTalmud''' (tradução do título: Intodução ao Talmud) de Rabi Shemuel Hanaguid - citação traduzida do livro "Hagadá é uma explicação rabínica que não esteja ligada ao assunto haláchico (lei judaica)" - daqui podemos concluir que basicamente os ditos do Talmud são divididos em duas categorias - Halachá (lei) e Hagadá (conto, história, estória).</ref> As declarações haláquicas são aquelas que se relacionam diretamente com as questões da prática e lei judaica ([[Halaca|Halachá]]), enquanto as declarações agádicas são aquelas que não tem qualquer conteúdo [[Direito|legal]], sendo de natureza mais [[Exegese|exegética]], [[homilética]], [[ética]] ou [[História|histórica]].<ref>Rabi Yehuda Barceloni em sua explicação ao livro '''Yetzirá''' - páginas 43 a 45 traz vários exemplos de tipos de Agadot Chazal (Agadá). Dentre elas citações que não se pode entender literalmente, citações éticas e morais, consolo e incentivos, idéiasideias, contos e estórias, fatos acontecidos, e outros.</ref>
 
== Ver também ==
{{Wikiquote|Talmud}}
* [[Rashi]]
 
{{referênciasReferências|col=2}}
 
{{Portal|Judaísmo}}
{{Wikiquote|Talmud}}
 
{{Ciclo de Vida Judaico}}
{{PortalPortal3|Judaísmo}}
 
{{DEFAULTSORT:Talmude}}
[[Categoria:Talmud| ]]
101 328

edições