Diferenças entre edições de "Guerra Sâmia"

60 bytes adicionados ,  23h16min de 11 de janeiro de 2017
sem resumo de edição
m
}}
 
A '''Guerra Sâmia''', ([[440também a.C.|440]]-[[439conhecida a.C.]])como '''Revolta de Samos''', foi um [[guerra|conflito militar]] ocorrido na [[Grécia Antiga]] durante os anos [[440 a.C|440]]-[[439 a.C]], entre as [[cidade-estado|cidades-estado]] ([[pólis]]) de [[Antiga Atenas|Atenas]] e [[Samos (ilha)|Samos]]. A guerra foi iniciada com a intervenção ateniense numa disputa entre Samos e [[Mileto]]. Quando os sâmios se recusaram a interromper seus ataques a Mileto, como haviam sido ordenados, os atenienses expulsaram o governo [[Oligarquia|oligárquico]] de Samos e estacionaram uma guarnição na cidade; os oligarcas, no entanto, logo voltaram, com o apoio [[Dinastia Aquemênida|persa]].
 
Uma frota ateniense ainda maior foi então despachada para reprimir estes tumultos. Inicialmente, esta frota derrotou os sâmios e cercou a cidade, porém [[Péricles]], que a comandava, foi obrigado a movimentar uma parte considerável da frota ao descobrir que a frota persa estava se aproximando pelo sul. Embora os persas eventualmente tenham recuado antes do encontro entre as duas frotas, a ausência da maior parte da frota ateniense permitiu que os sâmios expulsassem as tropas que ainda sitiavam a cidade, e por duas semanas conseguiram controlar o mar em torno da ilha; com o retorno de Péricles, no entanto, os atenienses novamente cercaram e sitiaram Samos; a cidade acabou por se render nove meses mais tarde. Sob os termos desta rendição, os sâmios foram obrigados a derrubar suas muralhas, entregar reféns, abrir mão de sua frota, e pagar uma indenização a Atenas pelos 26 anos seguintes.
71

edições