Diferenças entre edições de "Myrtaceae"

60 bytes adicionados ,  14h33min de 28 de janeiro de 2017
sem resumo de edição
As espécies da família Myrtaceae apresentam [[floema]] é interno, apresentando em geral abundante de [[ritidoma]] no [[caule]]. Observa-se também canais oleíferos na forma de pequenos pontos translúcidos que pode ser observado nas [[folha (botânica)|folhas]], [[flor]]es,[[fruto]]s e [[semente]].
;Folhas
As [[folha]]s são simples, opostas  (alternas na maioria das espécies do género ''Eucalyptus''), de bordo inteiro, [[peninérvia]]s e geralmente com  uma [[nervura]] marginal. Apresentam pontos translúcido devido a presença de [[Canal oleífero|canais oleíferos]].  A lâmina foliar é dorsiventral, ou bifacial, ou dorsiventral e bifacial (por exemplo em ''[[Eucalyptus]]'' e ''[[Eugenia (género)|Eugenia]]'', com as duas folhas verticais isobilaterais e folhas dorsiventrais horizontais), ou central. Uma epiderme [[mucilagem|mucilaginosa]] pode estar presente ou ausente. [[Estoma]]s principalmente confinados a uma superfície, ou em ambas as superfícies (comumente, em folhas orientadas marginalmente). Anomocítico (geralmente) ou paranótica. Cabelos presentes. Exclusivamente eglandular. Às vezes ostensivamente multicelular (então 2 câmaras), ou unicelulares (geralmente). Os pêlos unicelulares ramificados (às vezes tendendo a ser de 2 braços) ou simples. Lâmina com  cavidades secretoras contendo óleo. Pequenas veias foliares sem células de transferência de  floema (6 géneros). [[Estípula]]s diminutas ou ausentes. 
;Flores
Flores solitárias (raramente) ou agregadas em [[inflorescência]]s. Quando agregadas, em [[cime]]s, [[espiga]]s, [[corimbo]]s ou [[panícula]]s, raramente capitadas. As flores são andróginas, [[actinomórfica]]s, diclamídeas, dialipétalas, raramente com  pétalas de tamanho reduzido ou abortadas, polistêmone (atrativo visual), [[antera]]s globosas, rimosas e bitecas. Flores  cíclicas. [[Hipanto]] livre presente (pétalas inseridas no cálice) bem desenvolvido. Disco hipógino presente (que alinha o hipanto, quando perigino). [[Bráctea]]s involucrais ou sem brácteas envolventes.
<!----------------
=== Diversidade===
Recent estimates suggest the Myrtaceae include approximately 5950 species in ca 132 genera.<ref name="Christenhusz-Byng2016">{{cite journal |author1=Christenhusz, M. J. M. |author2=Byng, J. W. | year = 2016 | title = The number of known plants species in the world and its annual increase | journal = Phytotaxa | volume = 261 | pages = 201–217 | url = http://biotaxa.org/Phytotaxa/article/download/phytotaxa.261.3.1/20598 | doi = 10.11646/phytotaxa.261.3.1 | issue = 3 | publisher = Magnolia Press }}</ref><ref>Govaerts, R. et al. (12 additional authors). 2008. World Checklist of Myrtaceae. Royal Botanic Gardens, Kew. xv + 455 pp.</ref> The family has a wide distribution in tropical and warm-temperate regions of the world, and are typically common in many of the world's [[biodiversity hotspot]]s. Genera with capsular fruits such as ''[[Eucalyptus]]'', ''[[Corymbia]]'', ''[[Angophora]]'', ''[[Leptospermum]]'', and ''[[Melaleuca]]'' are absent from the Americas, apart from ''[[Metrosideros]]'' in [[Chile]] and [[Argentina]]. Genera with fleshy fruits have their greatest concentrations in eastern [[Australia]] and [[Malesia]] (the [[Australasia ecozone]]) and the [[Neotropic]]s. ''Eucalyptus'' is a dominant, nearly ubiquitous genus in the more mesic parts of Australia and extends north sporadically to the [[Philippines]]. ''[[Eucalyptus regnans]]'' is the tallest flowering plant in the world. Other important Australian genera are ''[[Callistemon]]'' (bottlebrushes), ''[[Syzygium]]'', and ''[[Melaleuca]]'' (paperbarks). Species of the genus ''[[Osbornia]]'', native to Australasia, are [[mangrove]]s. ''[[Eugenia (género)|Eugenia]]'', ''[[Myrcia]]'', and ''[[Calyptranthes]]'' are among the larger genera in the neotropics.
 
Historically, the Myrtaceae were divided into two subfamilies. Subfamily Myrtoideae (about 75 genera) was recognized as having fleshy fruits and opposite, entire leaves. Most genera in this subfamily have one of three easily recognized types of embryos. The genera of Myrtoideae can be very difficult to distinguish in the absence of mature fruits. Myrtoideae are found worldwide in subtropical and tropical regions, with centers of diversity in the Neotropics, northeastern Australia, and Malesia.
 
== Ocorrência no Brasil ==
Myrtaceae constitui uma das mais importantes famílias de Angiospermas no Brasil, concentrada em uma única tribo, Myrteae e três subtribos Myrciinae, Eugeniinae e Myrtinae. É considerada uma das famílias mais bem representadas no Brasil, com distribuição de suas espécies em todos os biomas. São distribuídas por todos os continentes, à exceção da Antártica, porém com predominância nas regiões tropicais e subtropicais do mundo. As mirtáceas têm sido organizadas tradicionalmente em duas subfamílias, Leptospermoideae e Myrtoideae, esta última incluindo todas as mirtáceas americanas, exceto o gênero monotípico Tepualia. Atualmente, a nova classificação infra-família proposta por Wilson et al. (2005) reconhece duas subfamílias, Myrtoideae e Psiloxyloideae, e 17 tribos. Todas as mirtáceas brasileiras estão incluídas na Tribo Myrteae. Representada por aproximadamente 1.000 espécies, Myrtaceae é uma das famílias mais importantes do Brasil destacando-se, com mais de uma centena de espécies, os gêneros ''Eugenia''''Myrcia'' e ''Calyptranthes'', enquanto o restante dos gêneros possui menos de 60 espécies. Myrtaceae é uma das famílias lenhosas dominantes em várias formações vegetais brasileiras, especialmente na floresta atlântica onde mais de 50 espécies podem ocorrer sintopicamente. Destaca-se, com mais de uma centena de espécies, os gêneros ''Eugenia''''Myrcia'' e ''Calyptranthes'', enquanto o restante dos gêneros possui menos de 60 espécies.<ref>{{citar periódico|ultimo=|primeiro=|titulo=Polinização e dispersão de sementes em Myrtaceae do Brasil|jornal=Scielo|doi=|url=http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000400002|acessadoem=23 de janeiro de 2017}}</ref> Myrtaceae é uma das famílias lenhosas dominantes em várias formações vegetais brasileiras, especialmente na floresta atlântica onde mais de 50 espécies podem ocorrer sintopicamente. Goiás inclui 20 gêneros e 202 espécies, sendo 9 gêneros de ocorrência na região sudoeste do estado<ref>{{citar periódico|ultimo=|primeiro=|titulo=A FAMÍLIA MYRTACEAE NO BRASIL|jornal=|doi=|url=https://www.botanica.org.br/trabalhos-cientificos/64CNBot/resumo-ins20157-id4031.pdf|acessadoem=23 de janeiro de 2017}}</ref> e 64 espécimes foram registrados no Maranhão.<ref>{{citar periódico|ultimo=Morais|primeiro=Larissa Maria Fernandes|titulo=FAMÍLIA MYRTACEAE: ANÁLISE MORFOLÓGICA E DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DE UMA COLEÇÃO BOTÂNICA|jornal=|doi=|url=http://www.conhecer.org.br/Agrarian%20Academy/2014a/familia.pdf|acessadoem=}}</ref>
 
== Referências ==